JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

22 de mai de 2012

Abismada Bea - Sistema carcerário e você: tudo a ver!

Sabe o que?      

Vejo com graça o fato de como queremos que todos os criminosos estejam presos, mas não queremos presídios em nossas cidades e de não pensarmos muito sobre como resolver os problemas desse lugar, acredito ser “inocente” demais pensar que simplesmente colocando uma pessoa em um local determinado o problema vai se resolver sozinho... O único lugar onde já vi algo ser jogado e sair melhor foi na máquina de lavar e mesmo assim tive que colocar o sabão, amaciante e escolher o melhor ciclo para aquele tipo de roupa.      

O que quero dizer é que não existe solução sem envolvimento de todos, por menor que ele seja.         

Poxa, é difícil entender que já pagamos para funcionários fazerem certas tarefas? E que funcionários precisam de orientação e cobrança, seja por falta de habilidade ou por falta de caráter discernimento? Temos que nos manifestar sim! Pagar para que não existam incômodos é um pensamento muito tolo; hoje pagamos para “alguém” cuidar disso, mas não ficamos de olho ou nem nos damos o trabalho de escolher bem quem terá essa função, porém, amanhã a vida manda a conta da nossa preguiça, então teremos pessoas mais problemáticas e violentas presas e soltas, com o adicional da afirmação da cultura de que deputados, vereadores, governadores, prefeitos e etc, podem fazer o que quiserem sem graves consequências.         

Independentemente do que os motivou para assim serem classificados, não estamos preparados para receber ex-presidiários de volta para o convívio social, sabemos que os cárceres são locais que não preparam as pessoas para o mercado de trabalho ou real conscientização do que ocorreu e não mais pode acontecer, criamos um pré-julgamento com base em dados reais, não está errado, mas não deveria ser assim.          

Para deixar mais possível o pensamento: e se fosse a sua mãe?       

- “Ah, minha mãe jamais cometeria um crime!”          

Bom, salvo as atenuantes e tudo mais, matar alguém por invadir a sua casa e bater nos seus filhos ainda é assassinato, certo? Mas qualquer mãe o cometeria, certo? Então podemos imaginar sim nossas mães presas e depois soltas...  

O ponto é que iríamos exigir que a sociedade as enxergassem como pessoas boas que por um ato isolado foram presas, mas o fato é que elas criarão um estigma porque ficaram neste certo local e lá dentro é que tudo se transforma... Qualquer um de nós sairia desse sistema mil vezes piorado e com uma ficha socialmente detestável impossibilitando o convívio e readaptação. Todos são presos por algum tipo de problema, seja por personalidade perturbada, necessidade extrema, coação ou falta de vergonha da cara, mas todos precisam e merecem tratamentos condizentes. Mais uma vez: já tiram nosso dinheiro para isso, (o que é a pior parte) só “falta” fazer.          

Não discuto tipos de penas, falo de tratamentos adequados com base na intenção prevista que é a de ressocialização.        

Já retiram dinheiro dos nossos bolsos para que isso seja providenciado, mas como poucos exigem muitos desviam porque não há uma cobrança ou punição efetiva.          

Só queria desabafar sobre o quanto deve ser impossível se reciclar, enxergar e retratar-se pelos erros quando te colocam em um lugar onde nenhuma medida educacional é tomada, não existe acompanhamento psicológico e notoriamente todos te repudiam...          

Queria desabafar de como seria diferente se fossem nossas mães precisando desse tipo de sistema e de como esquecemos que precisamos ter conscientização de justiça mesmo se o problema não acomete aqueles que amamos.               

P.s – Leia bem antes de falar mal de qualquer coisa, não estou defendendo bandidos ou passando mão na cabeça de delinqüente, falo dos nossos descuidos que pioram a situação.

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism