JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

26 de jul de 2012

Reclamatório – Aborto

bebe-fuckTratar de assuntos que dizem respeito a terceiros sempre é um tanto complicado, pois invadir a privacidade alheia é um troço chato demais principalmente pro “invadido”.  Mais difícil ainda é decidir algo em nome de outrem, por mais simples que seja uma decisão a ser tomada ela pode não agradar, pior ainda quando a vida deste terceiro elemento está em suas mãos. E sabe o que é pior do que isso? Se ao invés desta vida estar nas suas mãos ela estiver no seu ventre.

Ai fodeu!

Caso você seja um leitor um pouco mais sabido, já percebeu que estamos falando de aborto, e a conclusão mais fácil de se chegar sobre a minha opinião seria a seguinte: se ele defende a pena de morte, aposto que ele também é à favor do aborto.

ENGANO SEU!

Se tem uma coisa que eu abomino com todas as minhas forças é o tal do aborto. Vale destacar novamente que apesar deste ser um espaço jurídico eu não me baseio nas leis para dar a minha opinião, TAMPOUCO na religião e acho importante salientar ainda que estou tratando da questão do aborto em situações tidas como normais, não vou discutir os casos de estupro neste post.

Assim retomo o meu raciocínio dizendo que não sou contra o aborto por princípios cristãos, ou porque a lei diz que praticar aborto é crime, eu sou contra o aborto pura e simplesmente porque sim! (argumento muito inteligente esse).

Quando defendo a pena de morte parto do princípio que o elemento a ser fuzilado fez por merecer estar em tal situação, porém, no que diz respeito ao aborto a coisa não é assim, pois o que se pretende é ceifar uma vida que está por nascer e que nada tem a ver com a sua “cagada”. E não me venha você falar que até tantos dias ou meses não é uma vida, é só um “girino”. Queira você ir para a puta que te pariu! Fosse você aquele zigoto certamente a sua opinião seria outra.

Como diz o meu pai, um homem fino que só: “na hora de virá o zóio tava bom né! E é bem isso! Na hora de trepar você não pensou em porra nenhuma né! Então meu nobre, agora aguenta o tranco. Se você é um adolescente que defende o aborto por que senão vai ter que vender o vídeo game pra poder comprar fraldas, eu acho que você tem mais é que se foder mesmo!

Gostaria muito de te ver vendendo teus jogos de PS3 pra comprar leite em pó, ia achar muito legal ver a “mãe” se virando pra conseguir comprar um berço, unicamente porque ambos foram idiotas ao ponto de não se precaverem. O meu único porém nessa situação toda é que sendo contra o aborto existe um sério risco de uma idiota dessas carregar por nove meses “uma coisa” que não quer, e por isso não cuidar de sua gravidez como deveria, mas este é um risco.

Só não digo que adoraria ver uma pessoa que pratica o aborto morrer durante o procedimento porque neste caso só a mãe e o feto iam se dar mal, eu gostaria de algum modo de ferrar com pseudo pai e mãe ao mesmo tempo. Ah e lembra do post que eu fiz sobre a pena de morte? Então, apoio a ideia de mandar o médico que contribui com isso para aquele reality show onde o paredão realmente é um paredão!

Nasceu, oferece pra adoção, mas cumpra a porra do papel de mulher e dê a luz!. E você que participou do ato faça o seu papel de homem honrando vossas bolas e esteja ao lado da sua digníssima durante toda a gravidez, e ao final vá junto com ela ao orfanato fazer a entrega de seu “produto”, deve ser bem “legal” para uma mãe e pra um pai carregar pra sempre na memória que teve um filho e deu embora! Sei que algumas pessoas não tem o menor escrúpulo e caráter e devem dormir tranquilas com isso, mas sei que outras não, e isso pra mim é o bastante.

E tomara que o seu filho recém depositado tenha uma vida pra lá de fodástica em meio a uma família que o ame e lhe cubra de carinhos.

E finalizo com uma frase de Ronald Reagan:

“HIPÓCRITAS! Percebi que todos aqueles que são a favor do aborto já nasceram.”

Assinatura Livan

(não to gostando de escrever esses assuntos pesados aqui, vou parar com isso)

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism