JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

22 de out de 2012

Diário de um Postulante – Estado Civil: estudante

Bom dia nobres ...

images
Essa semana falarei sobre um fator importantíssimo e por muitas vezes responsável pelo baixo rendimento estudantil: O ESTADO CIVIL DO ESTUDANTE.

Ah! Nesse texto não falarei do estado civil da minha pessoa. Falei de um modo geral ta? Seguem os tipos de situação amorosa que mais interrompem os estudos.

Quando você mantém um relacionamento sério a um bom tempo, que já caiu naquela mesmice, aquele tipo de relacionamento que se assemelha a uma canja de pé de galinha sem sal, voce acaba se sentindo meio frustrado, sem ânimo e sem vontade pra tentar nada, pra arriscar nada, quem dirá então para estudar.

O mesmo ocorre com quem tá ai numa vida de largado, mais deixado de escanteio do que bombom de banana na caixa de especialidades ou mais desprezado que asa de frango em rodízio (como diria o meu Boss Livan). Quando se esta nessa fase de só receber sms da operadora te oferecendo um plano inútil ou mensagens de configuração, o estudante sente vontade de qualquer coisa – até de cortar os pulsos - mas nunca de estudar, porque, a falta de emoção na vida afetiva é tão impactante que chega a bloquear o cérebro. Vida morta assim só agrava a preguiça estudantil.

Bom, se ao contrário, voce ai tá numa vida de pegador(a) master, lhe aviso: Esse comportamento de rotatividade intensa (pegando geral, até o vizinho na micareta) é o comportamento mais prejudicial de todos.

Quando o estudante tá nessa, a única coisa que ele pensa é em números. Quanto mais gente no cardápio melhor! Pra fazer a captação de vítimas é necessário sair muito, estar sempre em evidência e passar muitas horas on line fomentando os contatos. Dessa forma, as horas que deveriam ser destinadas aos estudos, são ocupadas por baladas, bares, farras e horas de comentários no “feice”.

Outro comportamento deveras prejudicial aos estudos é daquele estudante que tomou pé na bunda. Puxa, quando se toma um pé, a única coisa que passa na cabeça do estudante é transformar sua rotina (nada interessante) em assunto a ser comentado. Até ida ao mercado junto com o amigo pra comprar sabão em pó pra mãe vira fotinha pro instagram. A energia que poderia ser dispensada ao estudo, está voltada para pensar em mil e um status que possam demonstrar ao ex ou a ex o quanto se está bem. Postagens no face como: “Hoje a noite promete, ninguém me segura” ou fotinhas com copos de bebidas e biquinhos são comuns.

Não sei dizer qual o estado civil mais benéfico ao estudante, mas os que trazem maior risco à vida acadêmica, na minha opinião, são esses acima.

Vida de estudante não é fácil, e vida de estudante para o exame da ordem consegue ser ainda pior. Mas força estudante! Essa é a vida que eu quis, o mundo inteiro acordar e a gente dormir que nós estudantes de direito escolhemos. Se a gente tivesse escolhido o curso de letras, não seriamos obrigados a prestar nenhum exame da ordem, não é? Força, um dia essa fase – tanto a de estudos para o exame da ordem quanto a da atual vida amorosa – acaba e virão outras piores.

Bjos e boa semana
Assinatura Mari

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism