JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

28 de jan de 2013

Diário de um Postulante - Vou não, posso não!

imagem texto 20Bom dia nobres ! Aqui estou mais um dia, sob o olhar sanguinário do vigia...

Essa semana experimentei o amargo da vida estudantil. Me vi a semana inteira sem tempo para comer, dormir, sem viver de maneira digna to dramática mesmo.

Até ter muito trabalho no meu trabalho e cursinho à noite e muitas peças pra fazer tudo bem, o que doeu mesmo foi ter que dizer não aos vários convites.

Por incrível que pareça, quando você não pode chovem convites, que vão desde uma festa bafonica a happy hour cozamigo. Quando você esta lá, mais abandonado que borda de pizza queimada, num aparece uma boa alma pra te convidar nem pra quermesse. Bendita lei de Murphy!

Claro que aqui eu preciso dizer que essa recusa aos convites baladeiristicos não surge de livre e espontânea vontade, o Sr. Tutor colabora bastante com as minhas decisões, toda vez que cogito sair ele diz: Parabéns! É com essa dedicação que voce quer passar na OAB? Desse jeito vai ser paralegal o resto da vida.

Não preciso dizer que volta e meia eu tenho vontade de cometer um “tutorcídio”, mas é para o meu bem, então, engulo o choro e saio correndo estudar. Mas daí vem outro problema, a total e cretina perda de concentração. Tenho sofrido desse mal!

Sento lá com meus livros, casos e muita vontade de estudar, de repente, a minha cabeça numa tentativa clara de me sabotar, viaja para lugares distantes. Penso no que eu fiz ontem, no vestido de formatura (que eu ainda não comprei), nas questões afetivas, enfim, em tudo, menos na matéria que eu deveria estar estudando.

Ai, fico irritadíssima comigo... porque toda vez que sento para estudar e não estudo eu estou perdendo um precioso tempo e estou dando motivo para que o tutor me de “lição de moral”.

Nosso cérebro poderia ter uma chave, um botão , enfim, um mecanismo on/off. Quando fosse hora de estudar, nosso cérebro ficaria off para as demais informações. Seria lindo não é mesmo? Mas não funciona assim. Quem tem objetivos a serem alcançados, tem que driblar o sono, o cansaço, a falta de vontade de estudar, a vontade de sair, ou seja, quem quer algo na vida tem que comer pedra.

Vamos então comer pedra, porque chororô, preguiça e manha não faz ninguém passar na OAB. E copiando o Diego, que já fora colunista desse mesmo diário, digo-lhes:

Estudantes sofredores, uni-vos!!!

assinaturamari

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism