JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

5 de mar de 2013

Diário de um Eme Eme - O estelionatário e sua testemunha de defesa

burro-shrekTodos temos um que de criminoso em nós. Afinal de contas, no mínimo, cometemos vários crimes contra a honra ao logo do dia. Basta pensar na quantidade de pessoas de quem você falou mal nas últimas duas semanas. Para sua sorte, daria crime continuado...

E tem um criminoso em especial que, embora seja condenado, desperta uma certa simpatia: o estelionatário. O estelionatário clássico é um sujeito carismático, inteligente e hábil nas palavras.

Mas eu gosto mesmo é dos tipos chinfrim de estelionatário. Os que são burros mesmo. Ah, para estes eu guardo meu maior carinho, pois sempre se dão mal coitados.

E esta é a história de um deles.

Era sexta feira, tinha uma carta precatória marcada para as 15:00. Oitiva de testemunha de defesa. Crime: estelionato. Local da consumação: São José do Rio Preto. Comarca deprecada: Rosana.

O sol lembrava a todos nós que devemos fugir do inferno, pois o calor era insuportável.

E a audiência não poderia se realizar. Meu cartório não tinha intimado o advogado de defesa e eu entendo contrariamente ao STF e ao STJ que ele precisa ser intimado.

Avisei que a audiência não ia ocorrer e se a testemunha quisesse eu explicaria a ela o motivo. E a testemunha quis.

Eu expliquei o motivo e a testemunha me disse: posso fazer uma pergunta? E eu: claro!

A testemunha se virou para mim e perguntou: o que eu estou fazendo aqui?

Expliquei que ele era testemunha e que talvez soubesse algo do crime. E ele me disse: não sei de nada.

Então eu deduzi: era testemunha de antecedentes. Expliquei que ele deveria ter sido arrolado para falar bem do acusado. Então ele perguntou: qual o nome dele mesmo e eu respondi com o nome completo.

Nesse momento a testemunha me olhou com uma cara indignada e disse: falar bem desse fdp? É muita cara de pau. Olha Dr., nem a pau. Este safado me aplicou um golpe e me deu um prejuízo de mil reais.

É, as vezes os estelionatários esquecem quem foi vítima de seus golpes.

GuilhermeMadeira

PS – Esta coluna tem por objetivo retratar o cotidiano de um juiz sempre com humor

PS2 – Para os temas jurídicos você pode ver o meu Blog: professormadeira.com

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism