JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

6 de mar de 2013

Extra petita – Eu não tive formatura

chapeus_altoAs festas de fim de ano acabaram, o carnaval já passou e a gente agora fica olhando pro calendário esperando o próximo feriado, porém, para amenizar esse “marasmo festivo” nesses meses inicias sempre rola uma festinha de formatura pra galera beber de graça às custas de um formando se divertir.

Este ano já fui em 3 dessas festas, mas confesso que formaturas me causam uma certa dor, uma tristeza imensa, pois quando me formei não tive a tal festa e aí quando vou em uma festa me sinto tipo um gordinho de regime dentro de uma doceria.

Quando entrei na faculdade eu pensava apenas em duas coisas: ser advogado pra gritar “EU PROTESTO” e ter uma festa de formatura daquelas bacanas que você acaba a festa com a gravata amarrada na testa, sua namorada só com um “pé do sapato” porque quebrou o salto enquanto dançava e coisas assim. Entretanto eu preciso dizer que eu não tive tudo isso. E sabem por que?

Porque eu não tive festa de formatura!

Essa minha “não festa” se deu por uma série de fatores que você pensa que não podem acontecer ao mesmo tempo, mas ó, não é que aconteceram!

Quando entrei na faculdade minha sala tinha uns 100 alunos (juro que não é exagero) e como a proporção de pessoas chatas é igual em todo o mundo, na minha sala não foi diferente, tinham os NERD’s revolucionários que “funcionavam” basicamente assim: se as notas deles eram boas, o professor era excelente, porém quando os sabichões da sala iam mal numa matéria a culpa era pro professor que não sabia explicar direito. E as atitudes eram extremas, ao ponto de rolar até “abaixo assinado” pra tirar professor (e não foi uma vez só).

Ocorre que se tem uma coisa que funciona nessa vida, é a tal da lei do retorno, e tais manifestações, que alguns entendiam como “estou lutando pelos meus direitos” mas que na verdade era “fui mal na prova, mas sou arrogante demais pra achar que a culpa é minha” se voltou contra a sala, e as nossas provas eram um tanto quanto “puxadas” , e isso já segurou algumas dezenas de alunos pelo caminho, questões financeiras tiraram outros, e a faculdade com o seu desejo de melhorar a nota no ENADE fez a sua parte impondo regras absurdas para os alunos progredirem nos estudos.

Foi feita uma manobra pra escolher apenas os melhores alunos da sala para fazer o exame, e foram segurando a galera sob o pretexto de que quem tinha “dependências” não poderia ir para o próximo semestre e com isso, os poucos mais de 40 alunos que restavam neste momento foram buscando outras faculdades e no final do curso menos de 10% dos que ingressaram na faculdade concluíram o curso e com isso a festa que ia rolar acabou não rolando.

E sempre que estou em uma formatura eu me recordo de uma conversa que tive logo no primeiro semestre do curso, com meu amigo, colega de faculdade, sócio e parceiro de sempre, Diego (que já foi colunista aqui) que na nossa formatura teríamos no máximo mais uns 20 alunos, mas que nós 2 estaríamos lá.

DOCE ILUSÃO!

AssinaturaLivan

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism