JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

12 de abr de 2013

Reclamatório – Se especializar pra que?

especializaçãoJá dizia a sabedoria popular que “camarão que dorme a onda leva”, e se transferirmos esse ditado para o mundo corporativo, poderíamos em uma analogia simples, dizer que quem não corre atrás de cursos, especializações, mestrados e doutorados acaba se dando mal. (ou pelo menos não vai se dar bem)

Entretanto, um fenômeno que não era esperado pelo menos por mim, passou a acontecer e que vem acabando com as esperanças de alguns jovens advogados. É o fenômeno da “piriguetização” da advocacia, sim meus caros, assim como na balada existem aquelas mulheres de saia curtinha (o que eu aprecio deveras) que basta você dar um oi para que ela se sente em seu colo, tá, exagerei um pouquinho, no mundo jurídico existem advogados que aceitam qualquer condição de trabalho.

Você vai lá, estuda, passa na OAB, continua se aperfeiçoando, faz uma pós graduação, depois inicia um MBA e logo ao final já engata em um mestrado, e pensa, agora sim a minha carreira vai deslanchar, pois agora eu tenho um puta de um currículo.

Ledo engano meu nobre, ledo engano!

Pois aí o seu salário não pode ser tão baixo, afinal você gastou com seus estudos, você investiu na sua carreira, e agora é a hora de colher os frutos, de cobrar mais caro pelos seus honorários ou ainda de exigir um salário decente no seu local de trabalho, contudo porém entretanto, é nessa hora que você toma um susto, pois existirão advogados piriguetes aceitando trabalhar por metade do que que você, que cobrarão honorários bem abaixo dos fixados na tabela da OAB.

Com isso você pensa, mas pra que raios eu fui querer me aperfeiçoar tanto, se esses advogados porta de cadeia aí estão roubando todos os meus clientes?

Simples, existe uma regra principalmente no direito tributário que diz que quem paga mal, paga duas vezes, e assim, uma hora ou outra um cliente que deixou de contratar seus serviços porque achou muito caro irá voltar ao seu escritório com o rabicó entre as pernas pedindo pra você arrumar a cagada que o outro advogado fez, e nesse momento meu nobre, mostre que você tem um bom coração e cobre 2 vezes mais do que tinha falado da primeira vez, e alegue, que as condições agora mudaram.

A mesma coisa acontecerá em escritórios ou empresas que deixaram de te contratar em favor de um profissional qualquer que aceite um salário menor que o seu, um dia o dono da empresa vai chegar, olhar pro cara trabalhando e tirando dúvidas com o estagiário e vai perceber a merda que fez ao economizar algumas centenas de reais por mês.

É a tal da lei do retorno.

E no atual momento, é triste dizer, mas eu tô aqui, sentado, esperando esse retorno, porque a compensação financeira pela minha dedicação e meus estudos ainda não veio, mas né, apesar da pressa, eu espero mais um pouco, quem sabe a sua vaga hoje, não seja minha amanhã?

Beijo!

AssinaturaLivan

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism