JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

6 de mai de 2013

Diário de um Postulante – Hora de Meditar

1 (2)Antes da 2ª Fase da Ordem: Momento Descarrego e Momento Meditação

Olá família querida deste nosso maravilhoso mundo jurídico. Escrevo-lhes hoje de modo a abranger os companheiros e companheiras que se encontram em uma das duas possíveis situações: 1. Conseguiram sua aprovação na primeira fase do X Exame de Ordem; e 2. Aqueles que não conseguiram a aprovação.

Aos que não lograram êxito (que bonito), este pode ser momentâneo – já que aguardamos a anulação de pelo menos 3 questões para o resultado definitivo – ou definitivo. Tanto para aqueles que não foram aprovados em definitivo, quanto àqueles que estão aprovados, creio que passaremos – e estamos passando – por dois momentos: a) Momento Descarrego (tipo um momento foda-se mesmo! e; b) Momento Meditação!

O momento Descarrego é o mais legal: vou beber – porque passei ou porque não passei – largar tudo por uma semana e esquecer que os livros existem. SIM, façam isso, por favor! O momento Descarrego (foda-se) é mais que importante. É aquele ponto de refúgio que precisamos. É a hora de chamar as melhores companhias – normalmente aquelas que acabaram ficando um pouco de lado nessa preparação para a 1ª fase – e beber (preferencialmente), ou se você não bebe, sei lá, ir ao cinema, passear no parque, tomar um sorvete. A minha sessão descarrego teve bar, carne de onça, cerveja, filme, pipoca, vinho, cerveja de novo, hidromassagem, sexo (claaro), jogo de futebol (semi-final do Campeonato Paranaense), e jantar com amigos que não via há 9 anos. (Pois é, eu estudo há 9 anos para o Exame de Ordem! Haha! #sóquenão!) Descansar a mente e o corpo é preciso, descarregar toda a tensão que fez parte de nossas vidas!

Passado esse momento que pode variar entre uma ou duas semanas, você escolhe, passamos ao Momento Meditação. É o momento de revermos o que fizemos que errado. Que disciplinas e abordagens deixamos de acertar ou mesmo de entender nesse teste aplicado pela OAB? Quais foram nossas dificuldades? Os métodos de estudo foram efetivamente adequados? Independente se sua preparação será para o XI Exame de Ordem, ou para a 2ª fase do X Exame, as dicas sobre métodos de estudo, publicadas na revista científica Psychological Science in the Public Interest, que encontrei dando uma olhada em sites para concursos, nos ajudarão a encontrar a melhor forma para aprimorarmos nossa forma de estudar.

A pesquisa identificou as formas pelas quais as pessoas usualmente estudam, e, por meio de estudos científicos, qualificou estes métodos em utilidades baixas, médias e altas para a aprendizagem, trazendo sua justificativa para cada um. Achei ótimo e já identifiquei estar utilizando vários dos métodos que, segundo a pesquisa, seriam considerados de utilidade baixa para o aprendizado. Trago um resumo para vocês.

Os métodos de estudo considerados de baixa utilidade foram:

a) Grifo: usar a canetinha amarela não requer esforço algum;

b) Releitura: se não for realizada logo na sequência da primeira leitura, não tem efetividade alguma;

c) Mnemônico: somente servem para casos específicos e pouco tempo antes de testes;

d) Mapas mentais: se sua prova exige a conexão entre ideias e desenhos, os mapas mentais serão efetivos. Contudo, a mesma efetividade não acontece quando a prova se trata eminentemente de texto escrito.

e) Resumos: são úteis para quem é hábil em resumir textos e para quem fará prova discursiva. Para provas objetivas, o método produz pouco efeito.

Métodos de utilidade moderada de aprendizagem:

a) Interrogação elaborativa: requer um esforço maior do cérebro ao buscar as explicações para os fatos apresentados durante o estudo.

b) Auto-explicação: explicar o acabou de estudar para si mesmo, com as próprias palavras, durante o estudo.

c) Estudo intercalado: a intercalação de matérias faz com que a pessoa permaneça mais tempo estudando.

Métodos de utilidade alta:

a) Testes práticos: é até duas vezes mais eficiente que os demais métodos. A dica é fazer todas as provas anteriores e exercícios possíveis acerca do assunto;

b) Prática distribuída: distribuir pequenas horas de estudo durante o dia, intercalados com intervalos de descanso, não concentra a aprendizagem em apenas um bloco, e faz com que ela seja absorvida de forma mais eficaz.

Percebi que eu estava utilizando três métodos de qualidade baixa, e apenas um método de qualidade alta, o que pode explicar várias de minhas falhas. É claro que para nós, que almejamos a carteira cor-de-rosa a maior dica é: REFAÇA OS EXERCÍCIOS OBJETIVOS E PRÁTICOS DAS PROVAS ANTERIORES! Para nós tal dica tem efeito vinculante e é, claro, não precisava nem mencionar.

Vamos lembrar que nada é absoluto, as pessoas têm modos diferentes de absorver determinados conteúdos e para isso, o fazem de modos diversos, que não necessariamente refletem os resultados que a pesquisa mostrou. Eu, por exemplo, consigo compreender muito a matéria resumindo-a. Alguns preferirão os mapas mentais, os mnemônicos (LIMPE – artigo 37, CF), ou os marca-textos amarelos.

O importante é: passado o momento Descarrego, após juntarmos os cacos que ficaram para trás do enfrentamento das questões formuladas pela banca da FGV, após lavarmos a alma e a mente, com coisas que nos fazem bem e nos deixam felizes, vamos Meditar! O que erramos, o que deveríamos ter feito diferente, o que não deveríamos ter feito. Nossa chance está à frente, só temos que enfrentá-la!

Boa semana de preparação para voltar aos Estudos!

PS1: Faltam 40 Dias!

PS2: Você pode encontrar o estudo completo aqui

AssinaturaDaiane

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism