JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

20 de mai de 2013

Mudar. É preciso?

Redundant-businessman-leaving-office-with-belongingsE aí galera!

Cá estamos em mais uma terça-feira, dia de agradecer a Deus pela segunda-feira que passou.

Hoje falarei sobre “mudanças” de/no estágio.

Mudar é preciso....

Mas, “mudar”, é preciso?

Como dito aqui anteriormente, até o momento já fiz três estágios, sendo que não pretendo sair do atual.

Mas às vezes me pego pensando: Por que saí dos outros?

O ser humano parece nunca estar contente com o que tem no momento, deve ser por isso que todos buscam incansavelmente seu lugar ao sol, almejando aquele emprego em que se possa dizer “ah como eu amo meu trabalho” no maior estilo Hollywoodiano de ser.

Buscar coisas novas não faz nenhum mal, afinal, somos guiados pelo “caminho do conforto”. Mas é importante fazer uma avaliação se isso é o que você realmente quer e precisa.

Fazendo uma comparação, o estágio não é tão simples como fazer a barba.

Em ambos, você deixa “crescer” e “molda” do jeito que lhe satisfaça.

Mas quando você enjoa da barba, você simplesmente “raspa” e fim.

Com o estágio (e aplica-se na vida), se você resolver “raspar” toda vez que fique “enjoado” ou quando as coisas não saiam do jeito que você espera, você só vai chegar a um lugar: nenhum.

Como já diria Tico Santa Cruz em uma de suas crônicas (que muito me agradam): “O que mais tem nesse planeta é gente vagando no automático, fazendo por fazer. Estando por estar. Pessoas que em sua incompetência não podem oferecer mais que o desejo pelo seu fracasso.”

Claro que não estou falando pra você ficar aturando seu chefe se ele fizer o estilo “Coronel Jesuíno” e te submeter à condição análoga de escravo. Se esta uma merda, saia.

Apenas entenda: Se o trabalho é bom, o chefe e os companheiros de estágio são agradáveis e o salário “dá pro sal”, o problema pode estar com você...

Enjoy the little thing’s

assinaturachristian

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism