JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

3 de jun de 2013

Não quero ser só bacharel em Direito

loserEssa semana que passou precisamente no dia 28.05.13, a OAB emitiu um comunicado informando que não haveria qualquer anulação de questões da 1ª Fase do X Exame, sendo mantido integralmente o gabarito oficial outrora veiculado.

Em que pese eu tenha alguns amigos que estavam na faixa dos 38, 39 pontos, aguardando as possíveis anulações e, claro, tenha ficado chateada por eles (por todo o stress que é a 1ª Fase), já aguardávamos tal resultado, tendo em vista a aprovação recorde de 54%.

Porém, contudo, todavia, tal informação não só trouxe a infelicidade para estes que aguardavam ansiosamente a anulação das questões, como deu forças para que os bacharéis em Direito (somente os coxinhas, é claro), saíssem das profundezas do limbo que habitam para literalmente, encherem o saco – se é que me permitem tal expressão – acerca do monopólio da OAB, da inconstitucionalidade do exame, do livre exercício da profissão, mimimimimi.

Ora, não obstante (vixe, tô querendo falar bonito), ainda me vem o Projeto de Lei que pretende que as atividades de assessoria e consultoria não sejam mais privativas de advogados, mas sim, exercidas também pelos bacharéis em Direito, que estudaram 5 anos e têm direito de atuar livremente na busca pela justiça.

Nesse entremeio ouvi falar até de uma tal residência jurídica (WTF???) como se fosse uma Defensoria Pública ou um Estágio Obrigatório da Faculdade, sendo que, se o cidadão não pudesse pagar um advogado, recorreria aos residentes jurídicos (com certeza cobrando honorários muito abaixo da tabela). Na verdade, a residência jurídica é um programa de treinamento, que tem o objetivo de inserir o futuro “advogado” na realidade da atuação jurídica, não tendo, tal instituto, qualquer correlação com a liberação da capacidade postulatória a não inscritos da OAB.

Com todo respeito aos bacharéis, pra mim, se Bacharel tivesse orgulho de assim o ser, nunca teria prestado um Exame de Ordem e seria hoje: Delegado, Promotor, ou até mesmo Professor, exercendo outra função que não aquelas privativas de advogado e que não precisam da aprovação e inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil . Se não por isso, é Loser. (Tenho uma amiga que desde logo diz que não tem pretensão nenhuma de fazer o Exame de Ordem, pois fará concursos da Polícia Federal para Delegada e eu acho digno).

Temos que discutir o exorbitante valor de 200 pila? SIM. Temos que questionar o modo como o exame é aplicado? SIM. A OAB poderia cobrar somente uma vez pela inscrição, sendo admitida até uma inscrição a mais? SIM. Mas o que não podemos é fechar os olhos para a precariedade de MUITAS universidades brasileiras que formam bacharéis em Direito até mesmo de forma telepresencial.

E nós, que passamos pela 1ª Fase e estamos indo para a 2ª: O que achamos disso?

“Ah, #partiu extinguir o Exame de Ordem, assim nóis num tem mais que fazê né?!”

Poxa, vejam o quanto estudamos. Fizemos 5 anos de Faculdade, ou, como eu, ainda estamos terminando. Não dá aquela insegurança em pensar que daqui há alguns meses estaremos ADVOGANDO? E isso que estamos de FATO nos empenhando. Imagine se só tivéssemos que nos formar, entregar a monografia e weeeee.... sair “processando” todo mundo, até o tio da padaria que te deu um pão queimado. Vamos obstruir a justiça com lides temerárias e sem sentido já que não tem nenhum critério mesmo.

E depois de tudo isso, e, é claro, de ficar indignada com algumas manifestações, deixo de tecer minhas argumentações sobre a necessidade do Exame, porquanto as acho óbvias.

Enfim, essa é só a MINHA opinião e quem concorda põe o dedo aqui, quem não concorda eu tô nem aí! Mentira, eu escuto as argumentações com respeito, mas adianto que não mudarão a minha.

Beijos Família! Vamos estudar porque eu não quero ser SÓ BACHAREL EM DIREITO!

#Faltam 14 dias

AssinaturaDaiane

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism