JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

10 de jun de 2013

O Chamado: 7 Dias

o chamadoOlá pessoas queridas, amadas e desconhecidas. Na noite de sábado para domingo, pasmem: Não fui ao bar. Quando acordei estava tão desesperada que parecia que a Samara do Filme O Chamado ia me ligar e dizer: 7 Dias. Pensando melhor, seria melhor que ligasse mesmo... assim eu morria e não dava tempo nem de chegar os 7 dias para a prova (#drama).

Penso que muitos concordarão comigo, mas esse filme de terror chamado Exame de Ordem não é caracterizado tão somente pelo desespero (que alguns têm mais, outros têm menos). O histórico dos próprios Exames nos mostra que estes são dignos de séries de terror. E digo séries porque cada edição parece uma temporada que não acaba mais.

A verdade é que os Exames de Ordem nunca deixarão de ser polêmicos (igual aos mamilos). Se não é pela reprovação recorde (86%), é pela aprovação recorde (54%). Se não pelas questões de 1ª Fase anuladas, a proibição dos Vade Mecuns de certa Editora que estruturam roteiros de peças processuais de cada disciplina. Se não pela Rave Universitária acontecendo ao lado da Universidade onde é realizada a 1ª Fase da Ordem e no mesmo momento (Sim, isso aconteceu aqui em Curitiba, no VII Exame Unificado, se não me engano), é pelos post-its e remissões não permitidas.

E se na coluna anterior (cujas correções gramaticais, ortográficas e semânticas eu agradeci, outras declinei, por motivos óbvios: #coxinhas), eu defendi a existência e obrigatoriedade do Exame, nesta eu faço uma pequena observação sobre a dificuldade da OAB e FGV de aplicar um Exame Unificado sem que isso vire polêmica, prejudique alguém, ou deixe os examinandos com vontade de sair correndo pelado na rua abaixo de 4 graus (aqui em Curitiba, claro!). 

Sei que a aprovação em massa nos deixa ainda mais receosos pelo que virá nesta segunda fase, mas, não jeito minha gente: tem que enfrentar. E digo enfrentar mesmo.

Mostro o exemplo de um “coleguinha” que faz parte de um dos grupos de estudo que acompanho no Facebook, e deu carona para uns amigos. Quando os amigos félasdaputa desceram do carro, derrubaram o seu precioso Odete (nome carinhosamente dado ao nosso Vade Mecum Administrativo organizado pela aludida Professora), já todo marcado para a prova.

Não sei se ele comprou outro Vade Mecum, engoliu toda sua raiva e frustração e partiu marcar o código novamente, ou se desistiu de vez. Imagine-se nesta situação. Deve dar vontade mesmo, de mandar tudo à PQP.

Eu mesma cheguei ao ápice da desgraça ao tentar levantar da cadeira, depois de 2 horas estudando, e ao apoiar na mão, distender o dedão da mão direita. É porque eu não preciso treinar as peças escrevendo não e porque não falta só uma semana para a prova...#queraiva!

Enfim, sei que dia 10 de junho, saindo os locais pra prova, as coisas começam a ficar (mais) sérias. Esse é o momento de estarmos com os códigos marcados (não terminei de marcar o meu, mas ele já está parecendo um caderno de Artes da 6ª série), o direito material consolidado em nossas mentes e o direito processual todo esquematizado.

Pessoas, assim como esta é minha primeira experiência, espero e desejo também a vocês que seja a última. E que a menina do chamado da OAB não nos ligue, querendo nos matar em 7 dias e fique bem longe de nós (tenho muito medo dela, principalmente porque tem um poço dentro da minha casa).

Força pessoas lindas e inteligentes!

AssinaturaDaiane

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism