JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

26 de jun de 2013

#Partiuprotesto

NED_2506Pegando carona no tsunami de manifestos, eu também quero propor os protestos dos concurseiros:

1. Pelo preço justo das taxas de inscrição!

Não, não dá pra pagar R$125,00 para fazer uma prova e ainda viajar e somar gasolina, combustível, pedágio, alimentação e o risco de furar o pneu.

2. Impossibilidade de que uma questão errada anule uma certa.

Em uma prova de 80 questões em que acertando 40 lhe garantiria 50% da prova, pronto. Basta essa regra absurda para zerar a prova e sair arrancando os cabelos.

3. Cursinhos preparatórios com preços justos

É um absurdooooo o preço dos cursinhos, minha gente! Se você quiser mesmo pagar pra estudar por uma vaga na Magistratura ou Promotoria, prepare o bolso: o custo mínimo será de uns mil reais. Alie isso ao fato de que, provavelmente, este tipo de concurseiro já dedica todo o tempo aos estudos, ou seja, não trabalha mais. Vai tirar o dinheiro de onde, mané?

4. Fim do Cadastro Reserva

O Cadastro Reserva é a coisa mais absurda que um dia inventaram para colocar nos abençoados editais. O caboclo se mata estudando, paga as abençoadas taxas de inscrição exorbitantes, quando não os cursos preparatórios e isso sem contar no assédio da questão-errada-anula-a-certa e pra que? Pra ficar lá parado no Cadastro Reserva esperando que se-der-e-se-estiverem-com-vontade seja chamado.

5. Fim dos cargos comissionados

Pior que o Cadastro Reserva é o cargo comissionado, que pra mim é o maior FURTO das vagas destinadas aos funcionários públicos. Cria-se um convênio aqui, outro acolá e pronto. Dá pra contratar o tio, o sobrinho, aquele colega que você prometeu um emprego caso ganhasse a eleição e até o sobrinho-neto dele. Enquanto isso os editais estão ai disponibilizando duas vagas para carreiras com aproximadamente vinte (ocupadas pelos amigos comissionados).

6. Melhor preparo das organizadoras de concurso

Dessa parte eu me recuso a falar! O despreparo das organizadoras é gritante e está ai para quem quiser ver. É só jogar no Google: fraude em concurso público. Pronto, pode escolher sobre qual você quer ler.

7. Melhores critérios para a correção das provas discursivas

Agora eu vou a favor primeiramente dos colegas que sofrem com a segunda fase da OAB. Ô coisa desgraçada essa de ficar na sorte do corretor. O meu por exemplo (começa que com certeza era uma mulher, pra ser dotada de tamanha sapiência ao corrigir uma prova tão brilhante quanto a minha) com certeza recebeu um aumento aquele dia, descobriu que tinha emagrecido uns 10 quilos e ainda tinha acabado de receber aquela proposta de casamento tão esperada há anos. Acordou num hotel cinco estrelas, com o papel higiênico dobrado em triângulo, pegou a minha prova e pensou: nem vou ler. Essa já passou!

Não, eu não estou dizendo que minha prova estava um lixo e que eu não merecia ter passado, mas comparando a dos outros colegas que fizeram basicamente a mesma coisa que eu, talvez eu não tivesse não.

8. Editais mais enxutos

Haverá coisa no mundo mais chata que edital? Talvez contrato bancário, mas eu repito: TALVEZ! E isso tudo porque os editais são cheios de nhém-nhém-nhém. Coisas que poderiam ser ditas em uma linha, são repetidas em milhares de parágrafos.

9. Bolsa concurseiro!!!

Se temos bolsa família, bolsa gás, bolsa crack (me critiquem!!!!), bolsa Victor Hugo e até bolsa Louis Vuitton (imperdível!!!), porque não a bolsa concurseiro?! Como eu já disse, a maioria dos concurseiros não trabalha mais e dedica o tempo integralmente aos estudos!

E ai? Quais são as suas reinvidicações?

#partiuprotesto

AssinaturaVeronica

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism