JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

27 de jun de 2013

PEC 37: Uma briga de vaidades

1Pressão popular, manchetes tendenciosas, desconhecimento sobre o assunto, batalha de egos, estes foram apenas alguns dos motivos que levaram à rejeição da "polêmica?!" proposta que ficou conhecida como PEC DA IMPUNIDADE.

Sabe-se lá quem foi que sugeriu este nome, que vale destacar não condiz com a verdade dos fatos, mas podemos considerar uma jogada de mestre dar este singelo apelido à Proposta de Emenda Constitucional (um beijo pra você que não sabia o que significa PEC) pois em tempos de ânimos exaltados, revolta popular e sede de justiça, um nome como assim faz todo o trabalho sozinho.

Basta usar a palavra corrupção ou impunidade para que os revoltosos ergam suas bandeiras, coloquem as vossas máscaras e comecem a gritar palavras de ordem contra uma causa que sequer conhecem.

Durante a última passeata contra o aumento da passagem, o fim dos testes com animais, pelo direito de ouvir funk sem fones de ouvido, pela paz mundial, pelo fim das saladas de beterraba e tantas outras coisas, jornalistas perguntaram aos manifestantes sobre o que versava a PEC 37 e a grande maioria não sabia nada sobre o assunto, tampouco o que significava PEC. Alguns diziam: ah é alguma coisa de corrupção, mas não sei direito o que é, só sei que eu sou contra.

O que se pode tirar disso é que apesar do povo gritar palavras de ordem contra a globo e chamara imprensa como um todo de tendenciosa, a galera continua sendo enganada e se você espalhou aos sete ventos que era contra sem mesmo saber do que se tratava ou ao menos ler a proposta, tenho um aplicativo pra vossa senhoria: MARIA VAI COM AS OUTRAS.

Observem que não defendo nenhuma corrente, apenas ataco aqueles que gritam simplesmente para fazer barulho. Até porque falar por falar, não adianta nada, pois já dizia o poeta, que falar, até papagaio sabe.

Membros do Ministério Público diziam que a aprovação da PEC seria um retrocesso, policiais se defendiam dizendo que a atuação do MP nas investigações era uma ingerência, uma invasão de competência.

Venderam para o povo que o Ministério Público era o único órgão capaz de colocar corruptos na cadeia e que os proibirem de continuar com esse bonito trabalho seria ser contra o Brasil e a favor da roubalheira.

Porém o que poucos sabem é que não dá pra proibir o que já é proibido, pois não existe nenhum dispositivo constitucional, lei complementar ou ordinária que garanta este poder que o Ministério Público tem hoje, o que existe é um regramento que concede atribuições que não foram conferidas constitucionalmente.

Se fossemos ser extremamente legalistas deveríamos ir a favor da PEC e impedir que membros do Ministério Público saíssem por ai investigando e prendendo pessoas, porém, se levarmos em conta que nossas policias não recebem um salário digno, não possuem as melhores condições de trabalho e que não estão bem aparelhadas para investigar e prender todos os que afrontam a lei, porque não permitir que alguém o faça?

Portanto meus amigos, contra ou a favor, pra mim tanto faz, desde que você não fale que defende porque ouviu alguém falar que isso é ruim.

AssinaturaLivan

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism