JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

13 de jul de 2013

Advogada de novela da Globo causa críticas de associação de criminalistas

Uma cena da novela “Amor à Vida”, da Rede Globo, provocou uma nota de repúdio por parte da Acrimesp (Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São Paulo). De acordo com o presidente do Conselho da entidade, Ademar Gomes, a postura da personagem Sílvia, interpretada pela atriz Carol Castro, ao orientar seus clientes a mentir, “é imoral, antiética e criminosa, levando uma opinião equivocada sob toda uma classe”.

novela

Na opinião da entidade, a advogada deveria receber uma punição na novela para mostrar que esse procedimento é incorreto. “Isso é crime, ela não pode orientar uma testemunha a mentir e corre o risco até de ser processada criminalmente pelo cliente”, diz Gomes à reportagem de Última Instância.
Segundo Gomes, além de comprometer o cliente (infração do artigo 342 do Código Penal, pelo crime de falso testemunho), essa conduta fere o Código de Ética da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), com previsão de detenção de 1 a 3 anos e multa. Além de passar uma má imagem dos advogados, a cena dá a impressão que tudo pode ser resolvido na base da mentira, alerta o advogado.
A trama
“Bruno” (Malvino Salvador), após perder mulher e filho em um parto há oito anos, encontrou um bebê numa caçamba e, com a ajuda da enfermeira Gláucia (Leona Cavalli), e de sua mãe Ordália (Elaine Giardini), criou-a como sua própria filha biológica. Agora, ele se vê envolvido com Paloma (Paolla de Oliveira) que, por coincidência, é a mãe biológica da menina Paula (Klara Castanho) – desconfiada , ela fez um exame de DNA sem consentimento de Bruno e comprovou que ele não é o pai. Agora o casal, separado, luta pela guarda da garota.
Sílvia, advogada de família, é apresentada a Bruno e sugere, por iniciativa própria, que eles mintam mesmo sob juízo – mesmo que Bruno estivesse propenso a contar a verdade.

Fonte: Última Instância

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism