JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

6 de jul de 2013

Advogado poeta conquista juíza

já faz tempo que a gente vem postando poemas e poesias elaboradas por advogados e juízes, a maioria dos casos é curioso mas não chama muita atenção (este aqui também não).

A grande diferença neste poema (mais um) é que neste o advogado em verso e prosa pediu e a Meritíssima em verso e prosa respondeu.

Ficou legal e vale a pena dar uma conferida.

Gratidão e lamento de um bacharel

Pedido de alvará judicial em processo de inventário nº. 1508/91

I
Minha diligente Juíza
Num preito de gratidão
pela prestesa no feito
E por justa decisão,

II
Digo-vos sinceramente,
Sem que implicasse em suborno,
Emfim…
Cumprindo-se a lei do retorno,

III
Caso eu tivesse poderes
Daria a satisfação
Mesmo sentindo a ausência
Dar-vos-ia u’a promoção.

Após deferimento,
pede-se serjam os presentes versos arquivados no coração,
e acostados aos respectivos autos.

Edivam Fonseca Guerra
Bel.

Bom Jesus, 26 de julho de 1.991

Depois de singelo pedido, a ilustríssima juíza assim proferiu sua decisão:

Junte-se aos autos.
Tão poético pedido.
Volte-me concluso no ato.
Para apreciação do q. foi requerido.

Em 26.07.91
Maria do Rosário de Fátima Martins Leite Dias
Juíza de Direito

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism