JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

26 de jul de 2013

Dentro do presídio, presa posta no Facebook “Cadeia é faculdade”.

Postagens foram descobertas há cerca de um mês após revista na cadeia. Secretaria responsável diz que não vai se pronunciar até o fim de sindicância.

Mais detentas da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, foram flagradas publicando fotos no Facebook. Em algumas publicações, uma presa se refere à Vidal Pessoa como "faculdade". A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus), que investiga as publicações, limitou-se a confirmar que uma das internas da cadeia tem se comunicado com amigos e parentes por meio da rede social. O órgão declarou que não vai se manifestar sobre o novo caso até a conclusão da sindicância.detenta

 

No dia 20 de junho, ela postou a foto de uma companheira de biquíni, com a legenda "Olha a noiva cadave no seu banho de sol n facudade (sic)". Em outra imagem, do 3 de junho, internas jogam dominó. "As coleguinha so dominó na facudade (sic)", disse a detenta, na legenda.

No perfil, existem ainda fotos da detenta tomando banho e pintando o cabelo. Em uma imagem postada no dia 3 de fevereiro, a interna afirma que a comida da unidade prisional não é boa. "Olha as meninas da cela comendo rango ruim (sic)", comentou. "Linda e lora so falta liberdade (sic)", disse em outra publicação.

Vidal Pessoa passou por revista no início de julho

No início do mês, a Sejus realizou revista na Vidal Pessoa e apreendeu celulares, carregadores, tesouras e armas artesanais. O fato ocorreu após a divulgação de imagens de presas que usavam redes sociais de dentro do presídio. Com acesso à internet, elas relatavam o dia a dia na cadeia e mostravam que tinham regalias, como uma manicure que atendia à ala feminina. As 17 presas identificadas nas imagens foram transferidas para o isolamento no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj).

No dia 11 de julho, a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa registrou uma rebelião. Os presos incendiaram colchões e houve ainda conflito na área externa da cadeia, com familiares de detentos tentando invadir a unidade prisional. Ao todo, segundo a Sejus, 53 presos ficaram feridos no motim e 60 foram transferidos da unidade.

Fonte: G1

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism