JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

8 de ago de 2013

Ser juíza e perder o boy magia?


Oi oi pessoal!

Tudo bem? Como foram de férias?
Esta semana estou voltando às aulas, então a coluna também está voltando! Aposto que sentiram saudades, né?
Eu fiquei ausente porque simplesmente não havia o que relatar, pois bem sabemos que por mais que falemos para nós mesmos que nas férias vamos dar uma olhadinha nos estudos e tal, isso NUNCA dá certo né? Eu mesma fiquei morrendo de dor na consciência, mas não rolou meeeesmo estudar. No início até me enpolguei, quis fazer tipo um "resumo" do semestre inteiro (a locaaaa!!) mas é óbvio que não deu certo.

Gente, estou oficialmente na metade do curso! Passou voando, e tenho plena consciência de que quando eu me der conta já vou estar me formando. Se por um lado é bom, pelo menos espero que até lá eu já tenha plena convicção do que quero para minha vida. Pois é, ainda não estou bem certa não.

Sempre disse que queria ser juiza, que ser juiza é lindo, é luxo, poder e glória, mas confesso que estou me sentindo meio desencorajada (tem no face esse?) diante de tamanha concorrência, dificuldades, relatos de anos a fio estudando e etc. É um caminho tortuoso e de muitas dificuldades e privação que eu e todo mundo que quiser o mesmo terá que enfrentar. Será que estou disposta? Não sei.

Afinal... Sou mulher, jovem e cheia de sonhos de mulherzinha. Explico.

Se por um lado ser jovem é bom porque podemos tentar várias coisas ("perder" tempo estudando por exemplo), também é a hora de aproveitar a vida de outras formas...

Se hoje em dia muitas, senão a maioria das mulheres priorizam a carreira profissional e deixam o lado pessoal para segundo plano e são muito felizes assim, tem aquelas (como euuuzinha) que vislumbram um altar, um apartamento, com dois filhos e um boy magia que será seu marido!

Antes que comecem de mimimi e digam que eu SÓ quero me casar e ser madame, não é nada disso. Quero também brilhar como advogada e contribuir com as despesas da casa (a menor das despesas, o resto é do marido. Brincadeirinha. Com fundinho de verdade). Acontece que se eu "perder" meu tempo e passar cinco, sete, dez anos estudando para ser Juiza... Trinta e tantos anos e sozinha forever alone e sem perspectivas de filhos?

Não!!! Quero brilhar na profissão e me dedicar ao lar, tarefa mega dificil hoje em dia.  Quero nesses cinco, sete ou dez anos conseguir ser advogada, estar brilhando mais que o sol em dia de verão, e poder ter tempo livre para ter uma vida social decente. Leia-se tempo para poder ter a chance de constituir família, o que talvez os anos que terei que me "enclausurar" não me permitirão. Para mim de nada vai adiantar ser juiza, olhar para o lado e me ver sozinha! Claro que nada impede que depois eu realize tudo isso... Mas sabemos que quanto mais o tempo passa mais difícil isso se torna.

Sei que muuuuitas não concordam e acham o que estou falando o maior absurdo do mundo. Mas sei também que é o que passa na cabeça de muitas mulheres, e eu sou uma das que admitem que preciso sim de um cenário comercial de margarina para ser feliz! Acho que no fundo todas as mulheres carregam isso dentro de si!


Bjsss

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism