JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

15 de ago de 2013

“Todo peso do mundo em minhas costas”

Oi oi gente!
Tudo bem?
Desde que eu escrevi o texto da semana passada, estou me sentindo muito aliviada. É como se eu tivesse tirado o "peso" dos concursos de cima de mim, eu já estava ficando louca com isso. Fiquei muito feliz que não sou só eu que penso assim, várias pessoas concordaram comigo! Pessoas que assim como eu acreditam que a profissão não é tudo na nossa vida, ao final são os laços afetivos com as pessoas que amamos que é o que vamos levar daqui, e é isso o que realmente importa.

peso
Vejam bem, não estou dizendo que a profissão não é importante, afinal eu faço Direito porque quero ser advogada e amo muito isso, mas talvez eu queira escolher um meio mais "fácil" de brilhar. Não que ser advogada não demande muito estudo e esforço, requer muito esforço sim, como bem me "lembraram" algumas pessoas nos comentários. Mas na minha opinião não é preciso abdicar de tanta coisa, tantos sonhos, e passar por tantas dificuldades que a aprovação em um concurso público exige! Enfim, toda profissão exige esforço e passa-se por dificuldades. Apenas quero escolher o caminho que melhor me permita seguir com os outros planos que tenho para a minha vida.
E é por isso que dentre tantos ramos existentes no Direito, que eu preciso definitivamente decidir o que vou fazer da minha vida, qual área seguir como advogada.
É preciso ter foco! E escolher é muuuito difícil. O bom é que eu já quaaaase me decidi sobre que área do Direito seguir. É o que todos ouvimos falar que "dá dinheiro". Resta saber se eu vou ter jeito pra coisa, porque ainda nem estou tendo essa matéria.
Bom, de ganhar dinheiro todo mundo gosta né? Então acho que eu vou gostar.
A looouca né?! Rs.
Claro que temos que fazer o que amamos, por amor e não por dinheiro. Mas acredito também que só de amor à profissão não se vive, ou seja, não adianta você amar o que faz, se não consegue manter sua vida em um padrão satisfatório, ou seja, poder se dar ao luxo dos prazeres da vida, criar bem seus filhos, poder viajar, fazer o que curte fazer, enfim! Ser feliz na profissão e através dela conseguir desfrutar de tudo de bom que a vida pode oferecer!
Não sou muito a favor da máxima "dinheiro não traz felicidade". Traz sim! De que adianta fazer algo que ama ao extremo e viver uma vida de privações? Por acaso há felicidade nisso? Não é bem melhor talvez fazer algo que não seja exatamente aquilo que sonhou para a sua vida, mas com isso ter dinheiro? Poder viajar com a familia? Jantar em lugares legais? Trocar de carro de vez em quando?
Isso não é felicidade também?
É sim. Ô se é né?
Acho que é nisso que temos que pensar. Se dinheiro não traz felicidade, tampouco a pobreza o faz.
Acho que é nisso que temos que pensar.
Beijinhos e até.

assinaturarafa

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism