JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

26 de set de 2013

Diário de uma Doutora - Perdendo o prazo

Tudo pode dar errado na vida, mas, com certeza isso vai acontecer quando for o último dia de prazo.

Eu tinha que apresentar uma peça, que me custou dias para sintetizar todas as informações constantes dos montes de documentos espalhados sobre a minha mesa. Nem dormir eu conseguia na última semana do prazo.

Em todo tempo, ficava pensando que estava esquecendo de alegar algo, de pesquisar tal informação que poderia ajudar no caso, sonhava que tinha perdido o prazo. Enfim, até terminar a bendita, eu sofri.

Talvez esse sofrimento tenha sido pela “novatice”, talvez, por eu ser uma pessoa muito encanada. Não sei definir o porquê eu sofri, mas, sofri!

No derradeiro dia, aquele fatal do prazo, exatamente ao meio dia eu terminei. Revisei e mandei para meu chefe.

Graças a era tecnológica o email não ia. Quando foi, não abria. E ao revisar, o chefe não conseguia me encaminhar o que ele havia alterado. Tivemos que fazer a “conferência” via whatssapp. Modernidade a gente vê aqui!

Tudo pronto, lá fomos nós para o protocolo eletrônico.

Porém, antes disso, como a causa envolvia questões complexas, foi pedido que a parte assinasse comigo. Ele, “gentilmente”, apareceu no escritório APENAS no final da tarde.

mulher-irritada

Nesse momento eu já estava querendo mata-lo com requintes de crueldade, porém, me lembrei que se eu o matasse eu não receberia honorários, iria pra cadeia, e ainda ia aparecer nas notícias do NED “Advogada surtada mata cliente que atrasou”. Não ia ser nada bom.

Antes de assinar, o adorável ser quis me lembrar da importância da ação. Depois quis discutir sexo dos anjos, e o princípio da flexibilidade aplicado ao rabo das lagartixas. Tava difícil não mata-lo! Perto das 19h fui iniciar o protocolo.

Iniciados os trabalhos, uma voz interna chamada consciência, me lembrou que eu não havia verificado as mais de 100 páginas digitalizadas. Foi abrir e querer morrer de morte bem lenta. A digitalização de uma parte eu havia “terceirizado”, e justamente essa parte que eu não havia conferido se estava legível, de certo não estava! A lei de Murphy nunca me deixa.

Após refazer todo trabalho antes terceirizado, e ter brigado mil vezes contra uma impressora que parecia possuir vida e vontade própria, comecei o protocolo.

Assim que o sistema carregou todos os arquivos, cliquei “assinar e enviar”. Em segundos descobri que a minha certificação digital estava “conflitante”. O relógio marcava 20h e eu já estava dizendo adeus ao emprego, e a carreira.

Mesmo com o sinal da internet caindo, mesmo com o certificado conflitante, eu consegui. Protocolei no último minuto e aprendi de maneira doída que o prazo deve ser cumprido no mínimo 2 dias antes.

Prazos cumpridos antes do dia final, aí vou eu!

assinaturamari

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism