JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

27 de set de 2013

INSPIRADO EM UM BLOG DE NOTÍCIAS FALSAS, DEPUTADO FEDERAL CRIA PROJETO DE LEI QUE INSTITUIRÁ O “BOLSA PROSTITUTA ARREPENDIDA”.

No início deste ano, um blog postou uma notícia falsa alegando que o Senado havia aprovado pagamento de uma bolsa mensal no valor de R$ 2.000,00 a garotas de programa. A notícia dizia que a finalidade da “bolsa prostituta” era garantir uma vida mais digna as garotas de programa, devendo o dinheiro da bolsa ser utilizado, prioritariamente, na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

Na época, tal notícia causou um grande “frisson” nas redes sociais, entretanto o deputado federal Djenaldo Souza do PTC - AC se inspirou na brincadeira para criar um projeto de lei que visa o pagamento de até R$ 3.000,00 as garotas que desejarem deixar a prostituição.

O deputado alega que muitas meninas são obrigadas pela vida a tornar-se garotas de programa desde muito novas para garantir o sustento de suas famílias e/ou o próprio sustento. Portanto o programa visará garantir a essas meninas “uma vida sem promiscuidades e sem necessidades” (slogan da campanha). O valor a ser pago pelo governo será destinado não só ao sustento destas meninas como também ao custeio de seu ensino médio e superior, valor este que será pago diretamente as instituições de ensino que se cadastrarem no programa.

Para adquirirem a bolsa, as meninas deverão comprovar que deixou de fazer programas e que estão regularmente matriculadas no ensino médio ou superior, devendo ainda comprovar a sua freqüência regular nas aulas.

O pagamento do benefício consistirá em duas partes: Valor pago a ex-garota de programa, para suas despesas básicas, equivalente a média do seu faturamento mensal enquanto garota de programa e valor pago a instituição de ensino em que a garota estiver cursando ensino médio ou superior. O pagamento da bolsa perdurará até a conclusão do ensino superior.

bruna

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism