JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

6 de nov de 2013

O rei do camarote é só mais uma vítima da classe média invejosa

Sempre que um capítulo de uma novela termina, ao final dos créditos aparece aquele aviso que quase ninguém presta atenção que diz “esta é uma obra de ficção e qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência”.

Pois foi este o recado que eu fiquei esperando quando acabei de ver o vídeo do senhor Alexander Almeida, o rei do camarote, o cara que ficou conhecido nacionalmente por conta de uma matéria da revista Veja, em que aparece andando de Ferrari, mostrando o seu guarda roupas lotado de camisas de grife e calças que custam mais do que uma motocicleta e gasta mais de 50 mil reais em uma balada, comprando “champas” pra umas mulheres desconhecidas. desde que elas sejam gostosas.

Comecei a pensar que aquilo (o vídeo) era armado, que foi feito por alguém pra sacanear com a revista, e realmente há quem diga que tudo não passou de uma armação e esse nem é o nome do cara, outros dizem que o cara existe, deu a entrevista mesmo, mas por conta da repercussão negativa do caso, ele mesmo procurou um determinado programa humorístico de qualidade duvidosa pra vender a história como se fosse uma trollagem. As teorias são muitas, vamos aguardar.

Mas depois de um tempo eu comecei a pensar: ainda que tudo isso tenha sido forjado, ainda que esse cara seja um morador de um conjunto habitacional qualquer, realmente existem pessoas assim, que esbanjam, que se exibem e ostentam tudo o que tem.

É natural do ser humano se exibir, contar vantagem e querer competir com seus iguais, você sempre quer ter um carro melhor que seu vizinho, sua mulher quer ser mais gostosa que a sua secretária e assim por diante. É normal você ver alguém postar no facebook as fotos da viagem que fez à Paris ou à Praia Grande, tirar foto do carro novo, do look da balada, ou do prato de comida daquele restaurante bacaninha que todo mundo anda falando.

Isso também é ostentar, obviamente que em uma escala muito menor, mas é. Você também está se exibindo para seus amigos, assim como o rei do camarote fez, mas, como ele supostamente tem muita grana, ele esbanja nas baladas mais tops, com as bebidas mais caras, porque balada é statis, mas aposto que você já postou foto de uma garrafa de absolut ou de um black label com red bull, logo, você também é igual o rei do camarote. Acontece que muitos não admitem a inveja e pra disfarçar, as transformam em críticas sem o menor fundamento e partem para as ofensas pessoais.

download (1)

Não me sinto ofendido com o cara gastar cinquenta mil dinheiros em bebidas pra mulheres que ele nunca viu e certamente nunca mais verá, pode ser uma atitude que eu não concorde, vinda de um cidadão que me parece vazio, que acredita que o dinheiro comprará amigos e lhe garantirá ser adorado por tantos outros, mas isso é uma questão de escolha e opinião.

E sendo ele o dono da grana, o modo que ele gasta o DINHEIRO DELE, eu não me importo nem um pouco, pois como diz o meu sábio pai, “caixão não tem gaveta”, e dinheiro é feito pra gastar mesmo, se o rei do camarote trabalha honestamente pra esbanjar, parabéns pra ele, não é crime ser milionário num país de uma classe média invejosa, pois tivesse eu grana pra sobrar assim, não ia pagar bebida de 700 reais a garrafa pra uma desconhecida só por causa do tamanho G dos seus peitos e P do seu vestido, mas ia torrar tanta ou mais grana em uma coleção de hot wheels e outra pequena fortuna em todos os tipos de máquinas de pinball que eu encontrasse à venda.

AssinaturaLivan

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism