JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

23 de jan de 2014

DIÁRIO DE UMA POSTULANTE–MINHA OAB NÚ GOIÁS

Olá, nobres e ilustres pessoas! Encontro-me aqui mais uma vez a lhes falar e dessa vez abrirei meu coração sobre uma ocorrência ocorrida nas dependências de uma das comarcas dú Goiáz. Antes que alguém se confunda, não, essa não é a coluna “Diário de um Estagiário”, qualquer semelhança é mero acaso, já que o meu problema problemático está diretamente relacionado com a carteira da ordem e por meio desse ocorrido vocês perceberão melhor a importância da tão sonhada aprovação na minha vida.

Quem conhece meu Goiás maravilhoso sabe que aparentemente a lei aplicada nas comarcas por aqui é praticamente uma lei que não existe no resto do Brasil (e do mundo), já que aqui, como em outros possíveis lugares, parece que são os serventuários que mandam.

Certo dia da semana passada, me dirigi linda, loira e maravilhosa, em mais uma das minhas atribuições de estagiária, com minha linda carteirinha azul nas mãos, para realizar a carga rápida de um processo.

Como vocês, que um dia já foram ou são estagiários devem saber, não é necessária a existência de procuração nos autos para a realização de carga rápida, isso é uma prerrogativa. Então, quando fiz o pedido e estendi a mão com a carteirinha azul, eis que surge a voz da escrevente: “Você é só estagiária!?

unnamed

Não pode fazer carga rápida sem procuração!”. Nesse momento queridos e queridinhos, teve início mais uma de minhas batalhas, a batalha pra fazer o TJ me permitir pegar o processo. Pra resumir a história, sim, eu consegui pegar o processo! MUAHAHA E sim, um magistrado a mais me odeia! Vocês devem pensar: qual a importância dessa história!?

O fato é que esse ocorrido demonstra qual a importância da minha aprovação na OAB, porque todos nós sabemos como o estagiário é destratado e como é mais destratado ainda o estagiário que tem uma carteirinha de estagiário.

Portanto, continuarei minha luta pra conseguir a aprovação (e ser mais maltratada que os estagiários nas comarcas dú Goiáz) porque eu ainda acredito que quando todos os estagiários e advogados pararem de sentir medo dos juízes, nós poderemos exercer nossas prerrogativas sem embaraços. Então simbora minha gente, comer arroz com piqui e estudar pra OAB.

AssinaturaFernanda

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism