JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

27 de jan de 2014

UNIÃO É CONDENADA POR CARTA DE AMOR PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL

Nós já havíamos postado a carta aqui no N.E.D., mas agora saiu a decisão e na decisão, o TRF da 5ª região manteve decisão que condenou a União a indenizar em R$ 20 mil, por danos morais, professora de educação física que teve carta com relatos de suposto triângulo amoroso publicada em Diário Eletrônico da JT. Publicação foi atribuída a servidora do TRT da 13ª região.

De acordo com o TRF, a servidora teria publicado no DEJT uma carta amorosa endereçada a um suposto namorado da professora, onde teria relatado história fantasiosa de traição amorosa envolvendo as três pessoas citadas. No texto, havia informações pessoais, como profissão e o endereço profissional da suposta vítima.

A publicação da carta teria causado grandes estragos à imagem da professora, que tomou conhecimento da infidelidade do namorado por meio da publicação. O fato teria ocasionado a ela grandes transtornos, inclusive a perda de vários clientes na academia em que trabalha, em razão da reprodução dos fatos em sites e jornais de grande circulação na cidade de João Pessoa/PB e a repercussão negativa do ocorrido.

C60C265C323048D30FE175A1BDAD1DD65BD0_carta

Diante da situação, a vítima ajuizou ação judicial contra a União requerendo indenização pelos danos sofridos. Em 1ª instância o pedido foi julgado procedente a ação e a União foi condenada ao pagamento de indenização por danos morais, no valor de R$ 20 mil.

A União interpôs recurso pleiteando que, se mantida a condenação, fosse reduzido o valor da indenização. Ao analisar a ação, o desembargador convocado Rubens de Mendonça Canuto, relator, negou provimento ao recurso.

"A situação caracterizada nos autos foi suficiente para causar contrariedade, angústia, dor, vexame e desconforto, enfim, abalo significativo no psiquismo da vítima. É tanto mais assim quanto mais se tenha em mente o fato de que, no caso em julgamento, o fato dificultou a vida profissional e social da autora por um determinado período", concluiu.

Confira abaixo a íntegra da carta.

___________

Carta:

Eu fiquei muito mal comigo mesma com a "nova" história triangular que acabo de viver com você porque percebi que estava desejando uma reaproximação contigo, reviver os momentos bons que tivemos, mesmo que limitados...Ilusão claro, e sempre soube que você era/é "solto" e que ninguém é de ninguém.

Mas assim como no ano passado você sabia - e eu NÃO !!! – que estava me chamando para treinar no mesmo ambiente em que estava Jamile (UP), há um mês atrás, quando me convidou novamente, quando esteve em minha casa, e ainda quando transamos no carro, há uma semana, EU NÃO SABIA que você e uma pessoa tão próxima a mim, de quem gosto e a quem devo obediência profissional, está de caso com você...E percebo que esse caso está rolando, que se tivesse acabado, se fosse passado, ela não teria comentadodo/especulado há poucos dias porque não tem mais me visto na Prodígio...Ela soube por você que fizemos um novo contrato de treino, que voltei para a UP... Eu não sabia de nada de vocês mas vocês sabiam de mim, e VOCÊ sabia de nós duas!!! Eu não sabia mas incrivelmente, por intuição, de repente, percebi. E que bom que você confirmou! Aprecio a sua honestidade, ainda que tardia.

Não sou perfeita, não sou puritana, não sou moralista, adoro sexo, sempre gostei demais de fazer sexo com você, reconheço que tenho muita atração física por você, de verdade, e sempre pus muito carinho em nossos encontros. Não gosto de promiscuidade, não por moralismo, mas porque minha energia não se afina com isso e procuro mais do que sexo. Você deve se lembrar que logo no início eu lhe chamei para nos encontrarmos na a minha casa porque era/sou uma pessoa sem impedimentos e porque não me dou muito bem com as energias de motel. Nunca aceitei sexo "a três" porque gosto é do encontro íntimo, da brincadeira gostosa com o parceiro que me atrai, da troca a dois, não exatamente de tesão por tesão, de troca corporal apenas... Mas até pode ser caretice mesmo, mas tenho o dever de ser honesta comigo.

A minha energia sutil é que me sustenta e me protege e a respeito muito. É muito sensível e aberta e recebe muita carga negativa em moteis. Dela vem minha guiança interna, meu senso e vontade de estar inteira e em verdade na minha vida e diante dos outros. Dessa energia sutil vem guinça, proteção, as intuições e os insights. Sempre soube que não havia um compromisso entre nós e sou romãntica e idealista mesmo e esse lado bem cru e realista da vida me deixa perplexa. O "vale tudo" não funciona muito pra mim mas eu é que devo ser estranha, talvez devesse estar noutro planeta. Eu aceitei estar com você sabendo que tinha uma namorada mas conviver com você e ela não deu para mim. Deu para você, como agora deu novamente conviver comigo e uma terceira pessoa quase da minha intimidade. E para ela deu também. Para mim não dá!!!

Aproveitem-se!

Segue anexo o comprovante (CUPOM FISCAL) do Iphone.

Marta

Fonte: Migalhas

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism