JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

24 de fev de 2014

DIÁRIO DE UM ESTUDANTE – A BUNDA E A FARPA

Hoje parei pra pensar no que pode acontecer de pior a um estudante de Direito... O fato é que já aconteceram tantas coisas cabulosas comigo que fica difícil elencar o mais trágico, ou cômico talvez.

Na minha primeira graduação, estudei Artes Cênicas (e não, não sei chorar de uma hora pra outra e a única diferença de beijo técnico pro não técnico é a sua safadeza,) passei por situações no mínimo constrangedoras. Não vou contar todas, até mesmo porque tenho família, pai, irmãos pequenos e uma reputação ilibada pra zelar, (cof...cof...), mas uma vez durante o ensaio da peça que funcionava como avaliação da disciplina, eu fui arrastada no palco por um outro ator, e meu figurino era uma saia... Bom, o palco de madeira precisava de uma reforma e na ocasião estava soltando farpas. Uma dessas benditas quis entrar bem no meu bumbum, e de lá não quis sair tão cedo.

A dor foi enorme. Gritei de dor. Me colocaram de “cócoras” e a sala inteira ficou olhando pra essa parte do meu corpitcho. Correram pra buscar pinça, faca, tesoura. Chamaram professores e a situação só ficava mais constrangedora do que nunca.

Nada adiantou. Como era grande e ficou beeeem lá dentro a única solução foi ir pro postinho de saúde perto da faculdade. E quem disse que tinha medico no postinho?? Tivemos que correr pra outro, mais longe. Não deu outra... A turma inteira dentro do ônibus, eu sem conseguir sentar com o trem enfiado lá dentro e inflamando, o povo sem saber se ria, se tentava me acalmar e o outro postinho de saúde longe dali.

unnamed

Quando chegamos, ninguém conseguia explicar pra senhorinha que ficava num tipo de “triagem” o que tinha acontecido... Na verdade, a gente não sabia como que ia justificar o acontecido... Até que um corajoso soltou: Tem um pau na bunda dela; em alto e bom som que só atores com a dicção perfeita e pulmões cheios conseguem. Bom, o resultado foi uma pequena cirurgia para retirada do “indesejado”, alguns pontos, fazer a minha família inteira passar o constrangimento de ser “a família da moça do pau na bunda”, ganhar fama na faculdade (fato que não é de se orgulhar muito), dar muito material pra ser sacaneada pelos meus amigos e descobrir da pior maneira, que pau na bunda dos outros é refresco.

Seria cômico, se não tivesse sido comigo.

Espero que nesse tempo que me falta na Faculdade Direito eu não tenha que sentar em nenhuma vara que esteja precisando de reforma. No bom sentido, é claro!

Beijosss e inté!!

Alynnão

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism