JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

14 de fev de 2014

PUBLICITÁRIO CRIA PÁGINA PRA COBRAR DÍVIDA DE ESTUDANTE DE DIREITO

Amiga diz não ter dinheiro, mas ostenta consumo na internet, diz criador. Site tem mais de mil seguidores; devedora ameaça processar responsável.

Inconformado com uma dívida não paga de R$ 460, um publicitário de Brasília apelou ao bom humor e à criatividade e criou uma página na internet para cobrar a quantia emprestada em novembro de 2012 para uma colega comprar uma passagem aérea. Lá, Felipe Cunha, de 28 anos, reproduz fotos que a devedora – nunca identificada por ele –  publica nas redes sociais exibindo momentos de compras, ingressos para shows e restaurantes que frequenta.

Ao lado das imagens, Cunha copia trechos de mensagens enviadas pela jovem, que diz estar passando por problemas financeiros (veja fotos). A página, criada em julho do ano passado, tem mais de mil seguidores.

"Comecei a pegar foto do Instagram [rede social para compartilhamento de fotos] da pessoa, sem que aparecesse o nome dela ou nada que desse para identificá-la, para mostrar que tipo de vida leva essa pessoa que diz que não tem dinheiro para me pagar, mas gasta em show do Aerosmith e está sempre comendo crepe no Sudoeste, cappuccinos e etc", disse. "Em alguns posts eu tentava rir da minha desgraça, mas em outros achava muita falta de caráter, já estava indignado e explodia na página."

divida1

Cunha disse que, assim que soube da página, a jovem, que é estudante de direito, chegou a pagar R$ 100 da dívida. Depois, pediu que o conteúdo fosse retirado do ar e ameaçou entrar com um processo judicial contra ele. Segundo o publicitário, como ela não é identificada nas imagens, ele se recusou a fazê-lo.

Ao criador da página, a jovem diz estar passando por problemas financeiros. "Ela não paga porque não está a fim mesmo. Conheço o estilo de vida dela. Nenhuma pessoa que não tem dinheiro para pagar uma dívida de R$ 400 compra à vista um frigobar", disse. "Ela é estudante, não trabalha, mas está sempre ostentando."

Com a repercussão que a página ganhou, o publicitário disse que se viu obrigado a moderar os comentários e a criar uma sessão de "modo de uso", com regras para utilizar a página.

dividas1

"A página deu uma certa coragem para algumas pessoas que tinham dívidas para irem atrás desses devedores e compartilharem as histórias", disse. "Mas um rapaz que eu nunca vi na vida descobriu quem era a menina e eu tive que apagar o comentário dele, apesar de ele não ter identificado ela."

"Outra mulher comentou que ali seria um ótimo lugar para divulgar o nome de pessoas que estavam devendo, mas eu não aceito divulgar nomes. Se quiser compartilhar a história sem expôr ninguém, ótimo."

Recentemente, o publicitário anunciou que decidiu perdoar a dívida. Ele diz, no entanto, que está reconsiderando a decisão. "Tanto tempo devendo sem pagar e sem medo de ostentar, uma hora perde a graça", diz. "Ela sempre assume que tem a dívida, que vai pagar, mas o dinheiro nunca vem. Não é muito dinheiro, mas faz falta, né?"

Fonte: G1

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism