JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

25 de mar de 2014

DIÁRIO DE UM ESTAGIÁRIO – (DES)SERVIÇO PÚBLICO

Olar, tudo bem com vocês? Hoje vamos falar sobre algo muito importante: o último capítulo da novela das 9. Zuera galerê, até mesmo por que eu acompanho tanto novela (acho que o nome dessa que tá passando é ‘O Rei do Gado’ né?) quanto entendo de Física Quântica, ou seja, nada.

Agora sério. Hoje falaremos sobre algo que interessa a todos. Não, não é sobre como ganhar dinheiro fácil de forma lícita, mas sim sobre o péssimo atendimento de todos alguns serviços públicos, em especial dos nossos kiridôsx fóruns (ou foros).

Todo mundo sabe que os serviços públicos são, no mínimo, ineficientes (pra não dizer uma bosta). E essas falhas acontecem pelo mais diversos motivos, porém, quase todos estão ligados, seja direta ou indiretamente, aos motivos políticos. Faltam recursos financeiros para contratar funcionários, melhorar a estrutura física, investimentos em tecnologias etc. Eu já fui estagiário de Poder Judiciário (fórum) e sei bem como a nossa estrutura é deficiente.

Entretanto, no momento estou do outro lado do balcão e tô sentindo na carne vendo que o problema é muito pior do que eu pensava. Acho que eu enxergava apenas uma parte desse iceberg de problemas do Judiciário. Tenho muita pena da parte que se agarra ao último fio de esperança e depende da Justiça, bem como tenho pena dos advogados que dependem da prestação jurisdicional (de)morosa para sobreviverem. Aliás, hoje pra advogar tem é que ter muita coragem e amor à profissão, eu diria.

E já não basta esse (des)serviço ser lento, ainda tem que ser deficiente. A começar pelo atendimento. Inclusive passei por esse problema essa semana, onde demorei mais de 1 hora para fazer carga de três, t-r-ê-s, TRÊS, 3 míseros processos. Ao menos o processo foi achado e não estava perdido em Nárnia, como frequentemente acontece. Felizmente, tenho muitos amigos que são técnicos judiciários e posso afirmar que todos se esforçam para prestar um ótimo serviço, portanto, neles eu deposito o pouco de esperança que me resta.

Acredito que as pessoas buscam o amparo jurisdicional o fazem por necessidade (salvo raras exceções), sendo que elas precisam de uma resposta rápida. Não importa se essa resposta for uma decisão procedente (melhor) ou improcedente (pior), pois nesse último caso ela pode simplesmente recorrer. Apenas clamam para que julguem o seu pedido.

Obviamente nem tudo é culpa do poder público. Também tem os causídicos malandros que ajuízam ações infundadas por ganância, como tivemos recentemente aqui em SC milhares de ações ajuizadas contra um órgão de proteção ao crédito em razão de falha detectada em seu sistema. Ou seja, pessoas oportunistas e que não precisam realmente de uma tutela judicial.

unnamed (2)Logo, uma justiça mais célere depende da colaboração de todos e, sobretudo, que os gestores públicos invistam mais e, principalmente, administrem melhor seus recursos financeiros não só no Poder Judiciário, mas em todos os serviços públicos. Do contrário, a população (principalmente a carente) pagará o preço.

E vocês, gostariam de fazer alguma reclamação de algum atendimento ruim? Aproveite a oportunidade, imagine aquele servidor com cara de bunda e que não transa a 6 meses que lhes atenderam mau e xingue muito comente aí abaixo.

gugão

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism