JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

23 de abr de 2014

DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO – LUTO

Devo confessar que ando bastante ocupada estudando! 2014, assim como 2013, segue sendo um ótimo ano para concursos.

Já no fim do ano passado decidi que não mais tentaria nada fora do meu objetivo: a polícia. No entanto, esse ano apareceu alguma coisa bem interessante! Trabalhei por alguns anos na Fundação CASA (antiga FEBEM) e ainda hoje atuo na área da Infância e Juventude e devo dizer que é uma das que mais me interesso!

Esse ano fiz a loucura de me inscrever em um curso de extensão nesta temática também. Digo loucura, pois eu já estava sem tempo para nada e nem sei como arrumei um espaço para mais isso.

E lá do mesmo lugar de onde tirei tempo pro curso de extensão, estou tentando encaixar também na agenda espaço para estudar para um concurso para educador social em uma cidade aqui do interior também. Apesar da pouca quantidade de vagas e do concurso ser municipal (lê-se: sujeito a falcatruas), estou animada! Consegui encaixar mais isso na agenda especialmente porque a matéria não é nada diferente daquilo com que trabalhei e trabalho (o que já facilita bastante), além do que sinto absoluto prazer em ler sobre o assunto.

E, apesar de não ter muito a ver o c* com a calça, estudando as desigualdades raciais de gênero entre crianças, adolescentes e mulheres no Brasil me peguei pensando no caso do menino que foi encontrado morto semana passada no Rio Grande do Sul. É um absurdo que em pleno século XXI, com quase 14 anos de ECA, ainda tenhamos que nos deparar com situações absurdas como essa! E o pior é pensar que o menino Bernardo é só mais uma Isabella Nardoni: morto não pelos pais, mas pelo Conselho Tutelar, pelo Ministério Público, pelas mãos de juízes e promotores, do Estado, do Município.

unnamed

Sei que aqui talvez não seja o lugar para falarmos sobre este assunto, afinal isso ainda é um blog de humor, mas sinto nojo de viver nesse mundo cretino onde os indivíduos gritam aos quatro cantos do mundo que a criança e o adolescente são apenas sujeitos de direitos, que deveriam estar trabalhando aos 10 anos de idade e condenados como criminosos em potencial aos 12!

Não quero (nem vou) abrir qualquer discussão a respeito de redução da maioridade penal, trabalho infantil ou qualquer coisa que o valha. Apenas estou de luto! Não é pelo Bernardo, pela Isabella, pelo menino Helio, mas pelo ECA!

Luto por uma legislação maravilhosa, criada para uma sociedade em um nível que talvez a gente nunca chegue.

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism