JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

29 de ago de 2014

DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO – EU NÃO MEREÇO SER PRESSIONADA

Oi de novo, povo lindo do meu coração! Estava eu aqui me contorcendo na cadeira enquanto tentava desesperadamente escrever essa coluna, já que, definitivamente, hoje eu realmente não estou inspirada. E isso tem um motivo: tinha que fazer essa coluna aqui, e eu não faço nada direito sob pressão.

Aproveitando a deixa, resolvi então falar de uma coisa que todo concurseiro dos bons (e principalmente dos ruins) conhece bem: pressão! E se você também é um desocupado estuda para concurso, não se preocupe que você não está livre dela.

Semana passada, na minha coluna de apresentação, resolvi abrir meu coração e dizer dos 30 concursos que reprovei prestei. Como quem mais me lê aqui são outros concurseiros, imaginei que todo mundo iria me oferecer um ombro amigo... Ao invés de ombro amigo, ficou todo mundo rindo de mim (inclusive eu).... Daí resolvi me aproveitar disso para dizer pra você o que com certeza você diz para os outros: passar em concursos não é tão fácil como se imagina... Mas antes, minha dignidade exige que eu lhe esclareça que eu não reprovei no último concurso que fiz no Pará... porque ele foi anulado no dia que a coluna passada foi ao ar... então faça o favor de me deixar com uma reprovação de crédito aí na sua lista...

Mas tem mais uma coisa que precisamos esclarecer aqui: não é porque alguém reprova em trocentos concursos que esse alguém é burro. É possível ser burro sem reprovar em nenhum concurso (é só não fazer), da mesma forma que é possível ser inteligente e não passar em nenhum (novamente, é só não fazer). Conheço muita gente boa que até hoje não passou nem no teste do pezinho. Mas como eu sou sincera, já lhe digo que eu faço parte de uma terceira categoria: os que além de retardados, não passam nem no exame de vista.

image

Eu prestei meus primeiros concursos quando estava no primeiro semestre da faculdade de Direito. Eu não sabia nem o que era Direito e muito menos concurso público (na verdade, acho que até hoje ainda não sei). Mas sabia que o salário era bom, então como eu não posso ver dinheiro tenho um sonho de infância de trabalhar em benefício da coletividade, fiz... a concorrência deu pouco mais de 1.800 por vaga. Meu amigo, pra arrumar um namorado meia-boca a concorrência tá bem menor e eu não consigo... Com esse tanto de gente aí eu não deveria nem ter ido fazer a prova...

No nono período da faculdade resolvi prestar concurso para advocacia pública enquanto pagava 14 matérias, escrevia o TCC e estudava para a segunda fase da OAB. Só comecei a estudar de verdade (se é que estudo de verdade) quando fui prestar concurso para delegada de polícia federal, mas, para minha tristeza (e quase depressão), não consegui me preparar em 45 dias.

Estudo mais ou menos sério há um ano. Pra mim, é tempo pra cacete muito tempo, mas a verdade é que 1 ano é pouquíssimo tempo para se passar em um concurso de alto nível. E é justamente quando você vai percebendo que todo mundo te acha um jumento porque você ainda não passou... É também quando começam as comparações com o filho de enteado da vizinha da cunhada da sua tia, que com 23 anos já passou no MP, na Polícia Federal, na AGU, na magistratura e na NASA.

Eu confesso que bem que eu queria arrumar um marido rico poder largar o trabalho e estudar 6, 7, 9 horas por dia (não acredito em quem diz que estuda 11, 12...). Mas não consegui dar o golpe largar o trabalho, então tenho que dar meus pulos e estudar enquanto tento fazer minhas pós, advogar e cuidar dos meus gatos.

Mas aí, enquanto eu estava aqui me descabelando porque não passo nem no teste do pezinho, acabei de receber o resultado de um outro concurso que eu tinha feito (esse nem tinha entrado naquela lista) e, INACREDITAVELMENTE, passei na segunda fase (não me pergunte como, porque eu também não faço a mínima ideia).

Pra você ver como o destino é irônico: enquanto eu reclamava de pressão, descubro que, pela primeira vez na vida, vou fazer uma prova oral. Mas aí, meu amigo, vou lhe pedir que não comemore a minha vitória antes da hora. Não se anime. Não se empolgue. Não me cobre... pressão já basta a que eu vou levar da banca...

assinaturajuliete

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism