JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

22 de ago de 2014

DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO - REPROVEI EM TODOS OS CONCURSOS QUE PRESTEI

Salve, salve, leitor des ocupado dessa coluna! Suponho que você deve ter percebido que a coluna de hoje não é escrita pela colunista de verdade sempre! Pois é! Tenho 4 notícias pra você: 3 péssimas e uma boa. A primeira notícia péssima é que a antiga colunista, a Verônica, vai dar um tempo por aqui, porque anda ocupada com coisas úteis, como estudar para concursos, por exemplo. A segunda notícia péssima é que eu vou ficar no lugar dela, e vocês vão ter que se contentar comigo mesmo. Mas aí a notícia boa é que minha coluna aqui é temporária, então só vou tampar o buraco da Verônica até ela decidir voltar. Por fim, a quarta notícia (péssima pra você) é que ela saiu porque vai estudar (o que eu também deveria estar fazendo), o que significa que ela vai passar, logo, não vai escrever mais essa coluna, e aí, meu querido, não preciso lhe dizer mais nada...

Mas eu digo, afinal, é para isso que estou aqui. Vamos então às apresentações preliminares, pois preliminares são essenciais! Depois de tantas más notícias, sinto-me na obrigação de lhe dar uma boa notícia! E essa é boa mesmo! Já que esse é o diário do concurseiro, fique sabendo que tenho motivos de sobra para estar aqui, e o principal deles é que eu tenho muito em comum com o William Douglas (se você não sabe quem é esse cara, saia já daqui e vá imediatamente para o Google. Beleza. Já voltou? Então vamos prosseguir nas preliminares). E agora sim começo a me apresentar e vou lhe provar minhas semelhanças com o “Guru dos Concursos”:

clip_image001Já fiz concurso para Auxiliar Judiciário do TJPA e fui reprovada. Fiz concurso para assistente técnico-administrativo do Ministério da Fazenda e fui reprovada. Fiz concurso para advogada da Caixa e fui reprovada. Fiz concurso para advogada da Petrobras e também fui reprovada. Fiz concurso para Auxiliar de Biblioteca da Universidade Federal de Alagoas (e você achando que a sua situação estava ruim, hein...) e fui reprovada. Fiz concurso para Delegada de Polícia Federal e puta que pariu! Esse eu não gosto nem de lembrar! Claro, fui reprovada com conceito A! Fiz concurso para Procuradora do Município de Maceió e só não fui reprovada porque não fui fazer a prova. Fiz concurso para Oficial de Justiça do TJCE e, por força do hábito, reprovei de novo! 5 anos depois de ter tentado o Tribunal de Justiça do Pará, fiz pela segunda vez o concurso para Auxiliar Judiciário, e, ainda não saiu o resultado oficial, mas, quando sair, serei novamente reprovada. Mas como não poderia deixar de ser, também fiz para Oficial de Justiça de novo, e, agora sim, tenho mais certeza do que nunca que vou reprovar novamente.

Mas não, caro leitor, não se iluda achando que, assim como William Douglas, vou começar a dizer os inúmeros concursos nos quais fui aprovada, porque a minha semelhança com ele termina bem aí: nas reprovações. Não passei nem no exame de fezes, até agora! Às vezes até acho que eu estou investindo pesado nessa história de ganhar experiência com reprovações.

Mas calma! Guarde seu lenço que nem tudo está perdido! Apesar do meu histórico bem, digamos, desfavorável, eu tenho muito pra lhe ensinar. E a primeira lição é sobre persistência! A velha história do quem acredita sempre alcança! E o que eu ganhei com a persistência em concurso público? Bom, nada (mas aposto que serve para alguma coisa), mas se não tivesse passado exatos 9 meses mandando 15 e-mails por dia para o dono do blog, ele não teria me dado essa coluna para lhe importunar (ok. Não foi só persistência. Foi falta de opção também, admito).

A segunda coisa que eu aprendi é que para passar em concurso público tem um detalhe que muita gente ignora (tenho fortes suspeitas de que estou entre essas pessoas). Eu vou lhe dizer, mas espero que fique entre nós. Se você, assim como eu, quer passar em um concurso, você precisa estudar (não como eu).

Agora que você já entendeu porque eu estou aqui, aposto que você está curioso para saber pra qual concurso eu estudo. Sinto decepcioná-lo, mas, se eu não lhe falei até agora, é porque tenho um motivo para isso, é justamente que eu também não sei! Anote mais isso aí pra você não me copiar...

Por fim, como diz William Douglas: “concurso público é uma fila”. Você entra nela e espera estuda que uma hora chega sua vez. Foi pensando nisso que eu resolvi me dedicar aos concursos públicos! Tem um setor aí na minha vida (que eu não vou dizer qual é, não adianta insistir) que já tem uns bons anos que a fila não anda (na verdade, nem tem fila), aí resolvi tentar os concursos pra ver se pelo menos essa fila andava... e até acho que está andando... só que pra trás...

assinaturajuliete

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism