JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

10 de out de 2014

DIÁRIO DE DOUTORA – CHATO DAS ELEIÇÕES: VOCÊ É UM DELES?

Faaaaaala, meuzamiguinho e minhazamiguinha! Tudo bem com vocês? E lá vai a Carolina falar de política de novo, para o ódio de alguns que discordaram do meu ponto de vista, exposto na outra semana.

Após o resultado do primeiro turno, uma coisa que já vinha acontecendo, foi agravada nesses últimos dias: é o embate dos grupos que apóiam os candidatos. Vocês já perceberam como está cada vez mais chato o clima nas redes sociais? As pessoas estão se comportando como fanáticas e, como todo mundo sabe, todo fanatismo é idiota porque cega e faz você parecer um fantoche na mão de outros que têm interesses bem maiores ($$$$$$$$), se é que vocês me entendem.

E vou te dizer uma coisa: se você não lembrou de ninguém lendo esse texto até aqui... cuidado! O chato pode ser você, com uma margem de erro de 1% para mais ou para menos para as opções "sim" ou "com certeza". E, olha, eu sei que conselho é complicado de ouvir e que, se fosse bom, não seria dado e sim vendido, mas, oh, preste atenção se você não está sendo mais um pentelho.

Será que quando você chama seus amigos que pensam diferente de você de acéfalos, imbecis, idiotas e outros xingamentos terríveis, você tem ideia de que talvez eles pensem a mesma coisa sobre você? Ou que talvez estejam bem decepcionados com o que você tem expondo e que pensem que você seja um babaca, manipulável, xiita e fundamentalista?

A eleição vai acabar. Esse clima vai acabar e aí... você quer brigar com todo mundo? Você quer que todos te detestem? Vejo por mim. Já mudei meu conceito sobre muitas pessoas. Não estou mais suportando ler o que elas escrevem e acabei cancelando o feed. Se não aguento mais tanta chatice virtual, não vou aguentar também no mundo real. Como sair com um xarope pra tomar um café ou um chopp no boteco?

unnamed

Defendo a liberdade de expressão, aliás, vou defender até a morte. Mas vamos combinar que há formas e formas de exercer esse direito. Você pode sim expor suas opiniões, mas a grande sacada é como você faz isso.

Se você expõe seus pontos de vista e, para dar embasamento e legitimidade aos seus argumentos, você tem a necessidade de diminuir aqueles à sua volta, que pensam de forma diversa da sua, alguma coisa está errada. Não é necessário ofender ninguém pra isso. Seus argumentos são tão vazios e estúpidos que você precisa baixar o nível e agir com torpeza?

O que vejo é uma guerra virtual. Pessoas disseminam o ódio por aqueles de opinião contrária, sem ao menos olhar as duas faces da moeda. Obviamente que, estando cego, é impossível ver qualquer coisa mesmo, quanto mais o outro lado, o que vai contra o que você acredita, que fizeram você acreditar ou achar que acredita.

Somos bombardeados com textos com títulos: "Trocentos motivos para não votar na Dilma", "Trocentos motivos para não votar no Aécio", "Escândalos do PT", "Escândalos do PSDB". Quer dizer: tá phoda! Já pensaram que louco seria se a gente pudesse votar no melhor e não no menos pior?

A campanha eleitoral do segundo turno será uma carnificina. Um lado tentando expor da melhor forma possível o que o outro tem de pior. E o debate de idéias? E as propostas? Quem perde com isso? Nós! Acredito que esses momentos que antecedem o dia da eleição só irão refletir esse clima de discórdia, ódio e intolerância que já estamos presenciando nas redes sociais, e que temo passar para o plano prático, nas ruas.

Alguém será eleito e vou torcer para que o escolhido pela maioria faça um excelente governo, pautado na ética e honestidade. E espero que se o seu "candidato do coração e amigo de infância" perder, você também torça por uma boa gestão de quem vencer porque você, eu e o resto estaremos no mesmo barco e (espero) queremos o melhor para o Brasil.

Assinatura Carol

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism