JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

4 de dez de 2014

DAS COISAS QUE UM ADVOGADO DEVE APRENDER COM O CHAVES E O CHAPOLIN

Roberto Bolaños infelizmente faleceu,  mas deixou um legado importantíssimo. E lógico, lições que todo advogado deve saber para aplicar em sua vida profissional. Vamos a elas?

1- Devemos deixar os outros fazerem nosso trabalho para evitarmos a fadiga:

Em resumo: tenha um estagiário. Os prazos vão se acumulando, você precisa cumpri-los, você está deveras cansado. Um estagiário é a solução! Ainda mais se for um de graça, que esteja ávido por conhecimento. Você dá a chance dele aprender e ele faz seu trabalho por você. Assim, você evita a fadiga e pode dedicar-se a outras atividades. E ah... outra vantagem: se você fizer alguma merda, tem em quem por a culpa, que será sempre, adivinha de quem... do estagiário!

2- Se você quiser vir a ser alguma coisa, que devore os livros.

O Chaves entendia isso ao pé da letra e queria comer as páginas, mas você, nobre advogado, sabe bem que não é o caso. Você precisa ler sempre, atualizar-se, estar ligado nas novas leis e entendimentos jurisprudenciais. Ou vai me dizer que lá na faculdade, você não aprendeu que um estudante de Direito sempre será um estudante de Direito? Então, meus queridos, devorem os livros!

3- Trabalho não é a pior coisa do mundo. Pior é ter que trabalhar.

Puts... o mais chato de advogar é isso, sabe? É ir ter de advogar. Ta, antes que algum coxinha diga que é apaixonado pela profissão, que ama o que faz e essas coisas, lembre-se que estamos no final do ano e o recesso parece não chegar nunca. Chega a Páscoa, mas não chega esse recesso, gente! E, sim, antes que me xinguem, eu gosto muito de advogar, mas ter que trabalhar nesses últimos dias está sendo phoda (sim, com PH, que é beeeeem pior).

4- Pode ser que sim, pode ser que não. Mas o mais certo é “quem sabe?”.

Isso aplica-se muito bem ao que o juiz pode decidir, ao resultado da sua ação. Pode ser que sim, que você vença, que tudo ocorra maravilhosamente bem e, pode ser que não, que o juiz pense de outra forma e você terá de recorrer até o inferno para tentar reverter a sentença. Então, se algum cliente perguntar se irá vencer a ação, diga sempre: “quem sabe?”. Jogue a dúvida para ele também e faça ele entender que de cabeça de juiz e bumbum de nenê é sempre uma surpresa o que sairá.

06_thumb4

5- Quando você não sabe o desfecho de um provérbio termine com “A ideia é essa, é mais ou menos isso…”

Essa idéia pode ser aplicada também quando você não sabe citar um artigo ou uma lei, mas sabe o que querem dizer. Sabe aquela história de “o que o legislador quis dizer?”.  Então... é mais ou menos isso. Assim, se você não sabe muito bem dizer ao pé da letra, dê essa enrolada e jogue a idéia geral do legislador, o espírito da lei, saca?

6- Algumas coisas não importam um honorável pouquinho

Não, definitivamente, não. Você irá depara-se com situações extremamente estressantes, que tendem sempre a nos desanimar, abater e trazer chateações. Mas, a maioria delas, não valem a pena toda essa carga negativa que trazem. Então você precisa relevar muitas coisas se não quiser enfartar antes de completar 10 anos de profissão. Mesmo porque, enfartar depois de 10 anos, é normal.

7- Se você é jovem ainda, um dia velho será.

Advogados da área previdenciária adoram isso. Sim, todos irão ficar velhos um dia (se não morrerem antes, obviamente). E, pode ser que essas pessoas um dia precisem ingressar com uma ação para conseguirem a tão sonhada aposentadoria. E ah, você advogado que está lendo meu texto, também irá ficar velho (espero eu), então sempre é bom, se você é autônomo, pensar em investir em algum sistema de aposentadoria privada. Fica a dica. E ah... tenha sempre muita paciência com seus clientes velhinhos. Num primeiro momento, eles podem parecer complicados, esquecidos, insistentes... mas é coisa da idade, e lembre-se, você também ficará idoso e terá as mesmas características.

8- Seria muito melhor ter ido assistir o filme do Pelé.

Não tenha dúvidas. Você vai lembrar isso quando estiver numa audiência bem complicada ou quando tiver que visitar um cliente na cadeia. Sim, era muito melhor ter ido ver o filme do Pelé. Aliás, o filme do Pelé nunca deveria ter saído de exibição nos cinemas, assim, nunca nos esqueceríamos disso.

9- A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena.

Nossa profissão é deveras complicada. Temos alguns colegas espertalhões que querem sempre nos passar a perna e levar vantagem em tudo. Só de ter lido isso, você lembrou de alguns advogados... eu sei. Mas entenda sempre que vingar-se deles é muito ruim. A vingança nos deixa amargos, faz mal a nós mesmos. Então, se você puder se vingar, não o faça. Deixe pra lá. Faça o contrário, seja melhor, seja bom. A gente só dá o que tem a oferecer.

Assinatura Carol

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism