JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

24 de abr de 2015

ABANDONO DA CAUSA – EU AINDA NÃO ME LIVREI DO PLATÃO

Olá pessoas bonitas, elegantes e que não usam terno para ir à faculdade no primeiro semestre, tudo bem com vocês?

Sim, voltei mais essa semana aqui no Não Entendo Direito, após uma semana de folga que fiquei longe de vocês (mentira, eu estava estudando para as provas), acumulado com um feriado que só deixou um “gostinho de quero mais” das férias.

Como disse, na última semana enfrentei as primeiras provas da nova faculdade. Para quem achava que ia tirar tudo de letra (eu, no caso), estava redondamente enganado. Gastei algumas madrugadas estudando – já que não está $fácil$ para ninguém pagar DP –e nem fui tão bem quanto imaginava. Nesse primeiro ano estou tendo, na maioria, aquelas matérias “não-práticas” que temos no começo da faculdade (filosofia, antropologia, sociologia etc). Tentei fazer a equivalência, porém, a minha faculdade atual não aceitou as ementas da faculdade de direito, já que na outra as matérias tinham foco apenas jurídico. Então, cá estou estudando Burke, Epicuro, Durkeim e Platão tudo novamente.

images

Na minha doce ilusão, como já tinha estudado tudo aquilo, não precisava revisar tão afundo. Mas descobri que os (quase) 7 anos que vi tudo aquilo serviram para que eu apagasse muita coisa da minha memória, inclusive o que tinha lido no Ética a Nicômaco (e confesso que muita coisa de trabalhista, previdenciário e penal, no meu caso). Pelo menos nas próximas provas já fico preparada a encarar que as faculdades mudam e com elas, as dificuldades mudam também.

Então, estou aqui aguardando as notas e esperando (sim, espero mesmo) por boas notícias! Aliás, falando nisso (mentira, esse é o momento que quero mudar de assunto), essa semana uma pessoa que tinha feito Jornalismo e agora cursa Direito me disse que não lê minha coluna para não se sentir desmotivada. Confesso que isso pegou no fundo da minha alma, porque a última coisa que quero aqui é desmotivar alguém da carreira jurídica, porque é uma profissão fod* (com palavrão e tudo mais!), que vale muito à pena para quem gosta e se identifica (e confesso que ainda tenho orgulho de abrir a minha carteira e ver a "vermelhinha" alí me encarando). Contudo, como já disse inúmeras vezes, a gente precisa se encaixar em algum lugar e é isso que resolvi fazer com a minha vida. Ninguém mais vai viver tudo isso por nós, então o mínimo que a gente precisa é trabalhar e estudar algo que curtimos. Se vocês estão se sentindo desmotivados ou qualquer coisa do tipo, por favor, me falem! Estou aqui porque muita gente passa pelo mesmo que eu – às vezes o caminho inverso ou outras profissões – e querem ouvir da “boca” de quem está sentindo na pele como que acontecem essas mudanças.

Bem, fiquem à vontade para comentar, criticar, dar sugestões ou curtir apenas - a continuidade da coluna depende de vocês! Mas, aqui do fundo do meu coração, espero que estejam gostando, porque eu gosto muito desse nosso encontro semanal :-) .

Até a próxima semana, queridos!

Beijos

Assinatura Carol

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism