JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

20 de abr de 2015

DIÁRIO DE UM (in)DOCENTE - VAMOS TERCEIRIZAR PARA ACABAR COM AS MAMATAS

Salve povo, tudo certo com vocês?

Como vocês sabem, eu curto temas polêmicos, mas não pelo fator “briga” e sim pelo amor ao debate.

Gosto de fazer cada um de vocês pensarem sobre o assunto, ou ao menos não ser mais um alienado que agarra um ponto de vista e nem quer saber de outro.

Mesmo que você defenda seu lado, eu te mostro que tem outro. Afinal, os dois lados tem prós e contras.

Hoje vamos falar sobre a terceirização, assunto que tomou grande proporção semana passada pelo projeto de lei 4330/04... Sim amigos DOIS MIL E QUATRO... Onze anos para ir para a mesa... ahhahahaha.

Mas acredito que o momento não poderia ser melhor. Motivo? Vários, mas vamos direto ao ponto.

Eu não vejo o projeto de terceirização como um problema, pois eu não vejo apenas com os olhos de um emprego celetista. Vejo a situação de forma macro. Analiso o ponto do empregado, empregador, governo, enfim, todos que, direta ou indiretamente serão atingidos pela proposta.

Após essa análise, eu penso como brasileiro, pois já fui terceiro, CLT, PJ, e hoje tenho três empregos. Sou Advogado, Professor e Empresário.

Acredito que o Brasil precisa de um sistema mais forte de terceirização para acabar com duas arestas soltas: (i) Brasileiros acomodados/estagnados e (ii) Governo faminto.

Explico-te de uma só vez, analisando os “direitos trabalhistas”.

clip_image002

INSS – Sou descontado, todos os meses para que, após uns 40 anos eu tenha direito a uma aposentadoria... Não vou entrar no mérito do INSS em si, mas apenas pergunto se não seria melhor você receber esse dinheiro e você mesmo fizer as suas aplicações financeiras para garantir o seu futuro em vez de ficar dependendo deste sistema.

FGTS – Rola um desconto mensal e o governo guarda seu dinheiro. Em troca de 3% de rentabilidade ao ano, quando a inflação neste ano, por exemplo, é de mais de 8%. Ou seja, você perde dinheiro e ainda confia num governo que pode da noite para o dia acabar com a sua poupança confiscada por envolvimento em operações suspeitas, como aconteceu com os fundos de pensão dos Correios, mas isso não é assunto para hoje também, vamos em frente. A propósito, a poupança rende de 6% a 7% ao ano, e você saca quando bem entender.

13º salário – Aqui o problema é para o empresário que sabe o quanto pode gastar com cada empregado por ano, sendo assim, o seu décimo terceiro na prática não é um pagamento adicional, é na verdade o que uma conta simples. Ao invés do empregador dividir o que quer gastar com você em 12 meses e te pagar mês a mês, ele divide em 13 meses e você em vez de receber o dinheiro que já é seu todos os meses, você tem que esperar por 12 meses para receber a 13ª parcela que ficou retida até o final do ano.

Acha loucura, faz assim, analisa os países a sua volta.

No México, as leis trabalhistas são bem parecidas com as daqui e o custo médio de uma demissão pode chegar a 70 semanas de trabalho...

Nos Estados Unidos, os empregados não têm férias de 30 dias, 13º, FGTS e nenhuma desses direitos e garantias trabalhistas que protegem o trabalhador.

Se essas garantias são tão importantes, quantos americanos atravessam o deserto, em direção ao México para conquistar esses direitos trabalhistas?

É o contrário né?! Todos os anos MULTIDÕES desses países cheios de garantias batem nas portas dos EUA sem garantias e direitos trabalhistas, pedindo, para entrar e ter um trabalho. É claro que temos outros fatores envolvidos, mas o seu trabalho fará a roda girar para vc sobreviver.

Não me lembro ao certo se é na Venezuela ou Equador que se você ganha menos de um salário mínimo e meio, você não pode ser demitido, legal? NÃO!!! Pois nesse regime, 85% dos funcionários não querem mais ser promovidos. Preferem ficar estagnados e "protegidos" em troca de garantir sua subsistência carreira.

Já percebeu que os grandes cargos, com maiores salários não são CLT’s?? Pois bem. Esse “coitado” tem que rebolar muito para manter seu trabalho, e dessa forma, sempre inovando e crescendo em sua carreira.

E para as empresas? Olha essas contas meu amigo:

Imagina um funcionário de uma multinacional. Considerando todos os custos envolvidos, ele custa quase o dobro do seu salário registrado na Carteira de Trabalho. Por exemplo, se um ganha um salário de 8.000 reais, ele vai custar aproximadamente 16.000 reais para empresa, depois de ser acrescido a este custo, FGTS, 13ª, 1/3 férias, multa contratual, DSR, INSS, vale transporte, refeição etc...

Mas vamos relembrar que ele ainda tem descontos na folha.

27,5% de IRRF / INSS / Contribuições Sindicais /

O líquido desse cara cai para uma média de 5.000,00.... Agora não esquece que esse mesmo cara tem que comer, beber, viver... e em tudo rola impostos, em média 50%... hahahahaha... ou seja, de fato mesmo, o “poder” líquido do fulano que ganha 8 mil, cai para 2.500,00. E o resto? Para o GOVERNO.

Por isso que eu acredito que a terceirização colocará o Brasil para frente. Pois, primeiro não deixará o empregado estagnado e acomodado “tranquilo”, depois vamos tirar um pouco daquilo que o governo suga de nós (empregados e empregadores) todos os meses.

Vamos parar de pensar só nas ações, vejamos também as reações, principalmente aquelas de longo prazo!

O que você acha??? Me diga!!!!

Beijos o Tio

Assinatura Renato

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism