JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

7 de mai de 2015

DIÁRIO DE UM CONCURSEIRO – AMOR, OUTRAS DROGAS E AS PROVAS

QUINTA, 07 de MAIO.

68kg (caminho célere rumo à obesidade – NÃO, CONTINUO NA DIETA), 7 unidades alcoólicas, 0 cigarros, 3.710 calorias, 910 pensamentos negativos por minuto, 3 horas calculando os pensamentos negativos por minuto, 1 pensamento positivo, 6 bilhetes da lotofácil.

Nesse post, resolvi mudar um pouco o estilo de texto que costumo escrever e fazer jus ao nome da coluna: “diário” de um concurseiro. Então aqui estou eu, desabafando, escrevendo, me sentindo a Bridget Jones e lembrando a minha infância de diários escondidos pra minha mãe não ler (claro que ela sempre lia, nunca fui boa em esconder nada, o melhor lugar e mais seguro era sempre embaixo da cama).

Por quê? Porque minha vida está uma loucura. Vou explicar o título do post passo a passo:

Amor: esta aí um tema que nunca me incomodou. Aí eu me apaixonei e pronto, me lasquei. Como lidar? Tenho sorte de gostar de alguém que entende que tenho que estudar. Mas tem que ter uma santa paciência pra me aguentar surtando com as provas, chorando depois delas, ansiosa com o resultado... Mas se for a pessoa certa, ela não só vai aturar como vai te fazer ser melhor em relação a isso. Apoiar teus sonhos, teus projetos e metas... né? O amor é lindo... Te leva onde você menos espera (no meu caso, a um show do João Neto e Frederico). E beijo!

Outras drogas: fiquei uns 20 dias com uma tosse que não me deixava ser feliz. Fui ao médico e a solução para os meus problemas estavam em três remédios que me custaram mais ou menos R$ 80,00 (não sou pão dura, mas dava pra comer uns 5 temakis Filadélfia ou tomar 8 cervejas Original no Galeria com essa grana), além é claro, do que gastei com a consulta. Em nome de Jesus, nosso Senhor, aquela tosse passou. Mas eu fiquei tão lesada de sono que nada rendia (e no meu caso, sempre rende).

diario

Até aí, tudo bem. Mas quando queima o motor do seu carro, você pega o carro da sua mãe, e um cidadão bate no carro da sua mãe estacionado, justo no dia que vocês está com ele, você começa a ficar preocupado. Um dedo com luxação, falta de ar, arritmia. Gente louca te chamando de louca, venenosa... (essa foi a melhor do ano, uhh, me senti a Rita Lee, eeeeerva venenosa). Um remedinho aqui, um remedinho ali... Pra acalmar, deixar tranquila. Eu não era assim. Esses dias, uma pessoa me contou que quando falou de mim, ouviu um “cuidado, a Maelem toma remédio”. Ai Deus.

Provas: Não sei. Eu juro que não sei o que está acontecendo comigo. Eu estudo, eu sei a matéria, eu sou inteligente, eu sei que sou. Chega a hora da prova e puff: dá um tilti nos neurônios e eu interpreto tudo errado, troco as respostas, entendo que a pessoa está perguntando uma coisa e é outra, esqueço de olhar o verso da prova, passo o gabarito errado... É macumba. Só pode. Solução? Olha, sábado vou a um cartomante, me julguem. Me convidaram pela segunda vez em um mês, então sei lá, deve ser pra eu ir né? Além disso, vou ao hospital espírita e vou fazer umas paradas lá pra ver porque eu não consigo me concentrar, qual o motivo, se tem a ver com a minha vida passada e não sei o que. Sou uma mulher bem resolvida e corajosa e não estou com medo. Mentira. Estou me borrando tudo. Pensei em escrever que pior que está não fica, mas vai que Deus tá lendo meu post e resolve me dar uma lição. Então, obrigada Deus, te amo Deus, me ajuda Deus.

EU VOU: Focar nas provas e na dieta

NÃO VOU: Intimar as pessoas pra brigar, chorar e me desesperar.

Assinatura Maelem

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism