JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

4 de mai de 2015

JUSTIÇA FEDERAL DE SÃO PAULO DISPONIBILIZA WHATSAPP PARA ADVOGADOS CONSULTAREM O PROCESSO

O juiz da 7ª Vara Federal de São Paulo, Ali Mazloum, autorizou o uso do aplicativo de mensagens “Whatsapp” nos processos. A medida tem a intenção de tornar o andamento dos julgamentos mais rápidos, colocando a tecnologia em serviço da justiça e no cotidiano do judiciário.

A portaria possibilita que advogados, procuradores, testemunhas e o público em geral possam enviar e receber imagens, áudios, vídeos e documentos que serão utilizados no processo. Além disso, poderão também consultar os autos, marcar audiência com o juiz, retirar certidões, alvarás e receber qualquer tipo de informações referente ao pleito.

1

Segundo o juiz, para que o procedimento possa ocorrer, é necessário realizar um cadastramento. Os advogados fornecem os dados quando passam pelo fórum e depois podem usufruir do serviço. Já as testemunhas devem concederem os números dos seus celulares ao oficial de justiça no ato da intimação.

“Com a adoção dessas práticas, procuramos desburocratizar procedimentos e simplificar os ritos, sempre dentro das regras legais vigentes, de modo a reduzir o estoque de processos, facilitando a atuação de todos os usuários dos serviços da Justiça”, ressalta Mazloum.

A utilização do aplicativo no judiciário já era praticado e agora foi oficializado pela Portaria n.º 012/2015. A utilização do Whatsapp na 7ª Vara Criminal é um complemento ao “Processo Cidadão”, em funcionamento desde 2010 para otimizar o funcionamento do judiciário.

“Queremos com isso dar continuidade às inovações trazidas pelo ‘Processo Cidadão’, quando implantamos um novo modelo de práticas cartorárias”, afirma o juiz. 

A secretaria da 7ª Vara Criminal fica responsável por acompanhar esse canal de comunicação e fazer o cadastro dos usuários interessados. O serviço funcionará pelo número (11) 94465-1179. “Primeiramente, o serviço será feito apenas por um aparelho, salvo se houver crescimento inesperado da demanda”, conclui Mazloum.

Fonte: Justificando

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism