JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

10 de jul de 2015

ABANDONO DA CAUSA – O QUE EU APRENDI COM O PRIMEIRO SEMESTRE DA NOVA FACULDADE

Existe frase mais clichê do que aquela que diz que o ano está voando? Bem, já peço desculpas de antemão, mas, pelo menos dessa vez, vou me render às frases manjadas, porque, SIM, esse ano está passando rápido demais!

Nem parece que já estamos já no meio de 2015, que já passou meio ano desde que a minha vida virou de ponta cabeça e entrei na faculdade nova, mesmo depois dos cinco anos na faculdade de Direito e de mais algum tempo advogando. É estranho lembrar daquele frio na barriga, daquela sensação de medo e ansiedade que sentia antes das novas aulas começarem, porque muitos desses sentimentos ainda estão aqui.

Só nesses últimos seis meses já aprendi muita coisa, conheci muitas pessoas e mudei minha cabeça sobre muitas visões que tinha e que, talvez, hoje estão mais abertas. O que mais fica evidente nesse tempo e o que vou levar daqui em diante é que, nem sempre, as coisas acontecerão da forma prevista.

Quando me formei na faculdade de direito, não esperava que não iria querer mais aquilo para mim, assim como não imaginava que viria o mundo jurídico com um certo “chamego de primogênito”, sabe? Quando entrei na faculdade de jornalismo, não imaginei que eu poderia aprender tanto com o pessoal bem mas novinho do que eu. Também não esperava que ia achar algumas matérias difíceis e ralar de estudar para tirar uma boa nota. Aquele negócio de “se eu consegui passar na OAB, uma prova de faculdade vai ser mole para mim” nem sempre foi verdade nesse período.

momfirstex

Mas deu certo, estou aqui, de férias e o mais importante de tudo: mais feliz do que nunca. Hoje consigo encaixar muita coisa do mundo jurídico nas aulas que tenho e também no meu novo trabalho. Voltei a trabalhar como estagiária e ganhar menos do que 1/3 do que eu ganhava antes e isso só me lembra todos os dias que é para alcançar um objetivo, para ser feliz e não me arrepender de nada que posso não ter tido coragem de ir atrás.

Aprendi que nem sempre as coisas são fáceis, que cada fase da nossa vida tem a sua dificuldade. Que, se você não está satisfeito com a realidade que está vivendo, ficar sentado em cima dos seus problemas não irá adiantar nada. Que a gente só precisa de um empurrãozinho para ser feliz, e esse incentivo só pode ser dado por nós mesmos.

Então, meus queridos, se vocês não estão felizes com qualquer coisa que esteja acontecendo, boa sorte para irem atrás de algo que encaixe melhor em suas vidas, independente de se tratar de carreira, relacionamentos ou o que for. O tempo voa e, como já diz o nosso amigo Lulu Santos, ele escorre pelas mãos mesmo sem se sentir. Não há tempo que volte: vamos viver tudo o que há para viver, vamos nos permitir!

Assinatura Carol

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism