JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

1 de set de 2015

EVANGÉLICO PROCESSA CALDEIRÃO DO HUCK POR FAZER FILHO SOLETRAR PALAVRAS “OFENSIVAS”

Bruno de Votu é um menino de 12 anos e tem duas paixões: leitura e a igreja evangélica que frequenta. O garoto divide o seu tempo entre a leitura de livros clássicos da literatura mundial e vai à igreja todos os dias.

Mas ao participar do programa Soletrando da Rede Globo, apresentado por Luciano Huck o garoto acabou envolvido em uma “suposta” confusão.

Na última sexta feira, o pai do menino, Hirto de Votu Junior, natural de Gênesis, interior da Bahia, ingressou com uma ação contra o apresentador Luciano Huck e a emissora carioca, pedindo o total de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) a título de danos morais.

A alegação de Hirto é que seu filho foi humilhado ao ter que soletrar palavras ofensivas a sua religião, enquanto participava do quadro“Soletrando” no programa Caldeirão Do Huck.

soletrar

Hirto alega que seu filho foi alvo de discriminação religiosa durante a realização do quadro, que consiste em sorteio de palavras a serem soletradas pelos competidores.

“Todas as palavras soletradas pelo meu filho tinham cunho preconceituoso, ele soletrou SODOMIA, CAFUÇÚ, SURUBA e MASOQUISMO, isso é um absurdo”

Ainda segundo o pai do garoto o menino passou por um extremo constrangimento em rede nacional, e diz que duvida que as palavras sejam sorteadas aleatoriamente: “tenho certeza que as palavras foram propositais”.

Meu filho ainda perguntou o significado de suruba ao professor que estava na bancada e agora todos na rua chamam meu filho de SURUBINHA!

Questionada, a emissora carioca disse através de comunicado que não ia se manifestar sobre o processo, pois ainda não havia sido notificada, mas esclareceu que todas as palavras sorteadas são extraídas de livros de grande destaque no cenário nacional e as palavras suruba e masoquismo foram extraídas do livro O Doce Veneno do Escorpião, de Bruna Surfistinha e as outras duas foram extraídas do livro Macunaíma, de Mario de Andrade.

Fonte: Embuste News

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism