JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

26 de out de 2015

SILAS CANDO, O ESTAGIÁRIO: O DIA QUE EU TENTEI CONQUISTAR UMA JUÍZA

Eaê galerinha gente fina do Direito.

Como todo mundo sabe, estagiário de Direito não tem muita vida social, porque estagiário de responsa tem que trabalhar feito camelo no deserto e além das tarefas “trabalhísticas” ainda tem a faculdade, as provas, os trabalhos e as leituras semanais.

Por conta disso muito estudante de direito tá aí solteiro, mais largado que asa de frango em churrascaria rodízio e não é legal essa solidão toda, assim, como diz o velho ditado, em tempos de guerra, qualquer buraco é trincheira.

Partindo dessa premissa, eu defini que qualquer lugar em que eu possa jogar o meu charme juvenil para quem quer que seja eu jogo, e foi assim que em um dia desses meu chefe me mandou pro fórum para despachar com uma juíza que era conhecida pela sua rispidez.

judge

Mas aqui é Silas mermão, aqui a gente derrete até geleira do polo norte e foi assim que passei o meu melhor perfume e parti para o fórum, chegando lá, esperava uma juíza velha, de cabelos brancos e com cara de bruxa de desenho animado, mas mano, mó engano!

Era uma juíza linda, pele macia e delicada e apesar de sentada atrás de sua pomposa mesa, percebi que ela era adepta da malhação e tinha um belo corpo, foi então que eu comecei a “atacar” e puxar conversa.

Enquanto ela lia a petição, comecei a dizer que não era comum juízas tão jovens na comarca, principalmente juízas jovens e lindas.

Ela apenas acenou com a cabeça e continuou sua leitura atenta.

Insisti e perguntei se ela era da cidade mesmo, afinal nunca tinha a visto antes.

Ela respondeu apenas que sim.

Continuei nos meus galanteios e disse que precisava mudar os lugares que frequentava, afinal, nascido e criado na cidade, nunca havia encontrado com tão bela mulher em nenhum lugar e dei o meu golpe de misericórdia perguntando quais eram os lugares preferidos dela na cidade.

Ela ignorou a minha pergunta e fez uma outra pergunta:

- Você é estagiário não é?

Nesse momento, imaginando minha iminente derrota amorosa, respondi um tímido “sim, excelência”.

Então ela me disse que não tinha costume de despachar quando as petições eram trazidas por estagiários, mas que no meu caso, especificamente ela ia despachar.

Foi aí que percebi que a juíza já estava no papo, agradeci e internamente comemorava a minha vitória no campo profissional e amoroso, e pensando em contar para os parceiros da facul que eu tava pegando uma juíza.

Ela terminou de ler a petição, escreveu algo e disse: por favor, só leia quando sair da minha sala!

Certamente era o telefone dela ou algo do tipo, peguei a petição, agradeci novamente, mas dessa vez sem conseguir conter minha felicidade saí do gabinete sorrindo de orelha a orelha.

Fechei a porta com rapidez e corri os olhos na petição. Quando li o que estava escrito, quase não acreditei, estava escrito o seguinte:

INDEFIRO O PEDIDO FORMULADO!

Silas

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism