JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

16 de nov de 2015

5 PIORES ERROS DE MARKETING COMETIDO POR ADVOGADOS

Muitos advogados e escritórios não acreditam ou desconhecem as diversas formas de marketing jurídico e por isso cometem erros comuns – mas graves – em seus planos de relacionamento com os clientes ou na prospecção destes.

É muito importante para um advogado compreender tanto as possibilidades que o marketing jurídico oferece em termos de divulgação do seu nome enquanto profissional e de seu escritório, como também entender os limites e condições dessa prática.
Pensando nisso, trazemos abaixo 5 dos principais e mais graves erros que advogados e donos de escritório cometem quando tentam implementar um plano de marketing jurídico. Muita atenção e veja se não está caindo em alguma dessas armadilhas.

1. Pensar no código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil como uma limitação

Um dos maiores mitos da advocacia é que o advogado ou os escritórios não podem se utilizar de marketing para a divulgação de seu trabalho, por ser proibido pelo Código de Ética da OAB. Na verdade, o Código de Ética disciplina, no capítulo IV, dos artigos 28 a 34, as formas como o marketing pode e deve ser realizado. Embora proíba a veiculação de propaganda publicitária ostensiva em redes de televisão ou rádio, ele deixa um leque imensurável de oportunidades para o marketing jurídico.
Afinal, marketing é mais que propaganda, é essencialmente o planejamento e execução de estratégias de relacionamento e o uso de ferramentas capazes de aproximar mais os clientes atuais e conquistar novos.
Então, é preciso não se esconder por trás de um pensamento equivocado e começar logo um novo plano de marketing jurídico.

2. Não entender ou possuir o seu público-alvo

Outro grave erro que muitos advogados e escritórios cometem, especialmente os autônomos ou escritórios pequenos e em início de carreira, é não ter um público-alvo e uma área de especialização, especialmente áreas de ponta e novas. Embora especializar-se possa ser um plano a médio e longo prazo, também dá maior segurança para o advogado e para os clientes, tornando-o cada vez mais próximo de ser uma referência.
Assim, para uma boa estratégia de marketing jurídico, é ideal ter um planejamento de carreira, uma área de especialização principal e saber identificar e prospectar o seu público-alvo.

Australian-Valuers-Litigation

3. Não utilizar as ferramentas de marketing corretamente ou acreditar que elas não servem

A área jurídica não possui especialização em trabalhar com marketing. Existem profissionais para isso que devem, sempre que possível, ser acionados e contratados, ao menos na condição de consultores.
Isso dito, para uma boa campanha de marketing jurídico, recomenda-se que o advogado e o escritório tenha o mínimo de conhecimento sobre as técnicas existentes e entenda como elas funcionam, pois caberá, em última instância, ao próprio advogado fazer seu marketing pessoal.
Entender o marketing jurídico, saber suas ferramentas e poder colocá-las em prática é essencial. É um erro pensar que não existe uma técnica por trás disso e que a divulgação do escritório pode ser feita de qualquer forma.

4. Competir mediante preço e não em qualidade

Pensar que honorários baixos irão atrair clientes é um erro bem comum entre advogados iniciantes. Há uma aura na profissão de advogado que deve ser aproveitada. Clientes procuram advogados para resolver seus problemas e confiará em um profissional com qualidade, mais do que em um que cobre barato. Por isso, é sempre preferível negociar as condições de pagamento do que o valor dos honorários, por exemplo.

5. Não utilizar redes sociais

É inegável que estamos em uma era conectada. As redes sociais e a internet já se tornaram um forte campo de divulgação, que pode ser extremamente bem explorado pelo marketing jurídico. Perfis do advogado ou do escritório em redes sociais como Facebook ou Linkedin são praticamente obrigatórias hoje em dia. É um erro grave não estar conectado, ou pensar que um site é suficiente. O público hoje requer interação e conectividade e quer rápido, de fácil acesso e por todos os canais possíveis.
Em suma, para um advogado ou escritório, o marketing jurídico é muito importante. Além de evitar os erros que falamos aqui, é preciso entender também como fazê-lo.

Fonte: Juridicorrespondente

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism