JUIZ CAGÃO:

Juiz tira um foto no banheiro pra mostrar que também é genteClique e leia

8 de dez de 2015

TRIBUNAL DE JUSTIÇA COMPRA 33 CADEIRAS PARA DESEMBARGADORES A UM CUSTO DE R$ 8.750,00 CADA

Do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (Moma) direto para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ/RN). Os desembargadores do Estado deverão sentar-se em cadeiras expostas como obra-prima do design, cada uma delas no valor de R$ 8.750. Ao todo, as 33 custarão R$ 288.750.  As cadeiras deverão substituir as atuais poltronas dos magistrados nos gabinetes e no pleno do tribunal.

Além de serem importadas, as cadeiras têm 12 anos de garantia.  A compra foi feita à empresa Cidade Jardim Design cujo nome fantasia é Creative Original Design (COD). Embora tenha franquia em Natal, segundo o franqueado Anchieta Júnior, a compra foi feita direto à matriz localizada em São Paulo. “Já foi assim para evitar a bitributação, já que esse produto é importado. Também tem os custos de frete e seguro até o Rio Grande do Norte. Aqui eu vendo a Aeron por R$ 9.500”, justificou.
Anchieta explicou que o comprador não pode renunciar à garantia como uma forma de baratear o produto. No entanto, segundo ele, a licitação do Tribunal de Justiça exigia um período de garantia menor. “A licitação pedia de seis anos e a marca ofertava 12. Tanto é que eles [a loja] tiveram que fazer um declaração formal sobre isso”, contou.
O revendedor falou que há cadeiras mais baratas no mercado, mas não com qualidade  da Aeron Chair. “É uma cadeira reconhecida internacionalmente. Toda semana eu vendo três ou quatro cadeiras dessas para clientes particulares. Tem deles que dizem que a cadeira resolveu o problema de coluna deles. A única marca que poderia fazer concorrência ao nosso produto seria as poltronas da marca Giroflex, contudo a fabricante brasileira fechou suas portas em meados de 2014”, argumentou. A Aeron Chair foi lançada na década de 1990 e eleita como o “design da década” pela premiação Best in Business Award. Anchieta vende cadeiras mais baratas, mas também tem outras que chegam a R$ 20 mil. Na loja há cadeiras no valor de R$ 1.800 com garantia de cinco anos. Todavia, a cadeira mais cobiçada da marca Herman Miller é recomendada por ortopedistas e conserva a posição natural da coluna.

ReproduçãoCadeiras Aeron Chair serão utilizadas no TJRNCadeiras Aeron Chair serão utilizadas no TJRN

De acordo com o Tribunal de Justiça, a compra mais recente de cadeiras para o pleno e os gabinetes ocorreu em 21 de dezembro de 2002.  Sobre o pregão eletrônico no qual a COD foi escolhida, o TJ/RN informou que outras 13 empresas concorreram. O resultado final foi divulgado no Diário da Justiça Estadual em 29 de outubro passado. Além de Natal e São Paulo, a empresa fornecedora está presente em Manaus, Fortaleza e Rio de Janeiro por meio de franquias.
Diante das cadeiras atuais do pleno do tribunal, é possível perceber que o design não é dos mais modernos. Quase todas apresentam rugas no material que reveste a espuma. Na cadeira à direita do presidente, reservada a membro do Ministério Público, nossa equipe encontrou um rasgão de aproximadamente três centímetros na parte superior do encosto. A assessoria de imprensa informou ainda que as rodinhas das poltronas usadas atualmente caem com frequência.
No site da loja, o produto comprado pelo TJ/RN é descrito como de “aparência distinta com ergonomia pioneira”. A tecnologia  patenteada oferece suporte “natural e personalizado à região baixa da coluna com alta performance para longos períodos”. A espuma e o tecido são substituídos por um material patenteado que permitirá a adaptação da coluna cervical dos magistrados. O franqueado informou que o material ainda não foi entregue, porque a compra ainda não foi concretizada.

Cadeiras dos desembargadores
33 cadeiras:
R$ 8.750 valor de cada uma
R$ 288.750 valor total das cadeiras
Justificativa do documento que baseia a licitação da compra do mobiliário:
“Justifica-se a necessidade de observação das características de ergonomia e conforto dado que as cadeiras serão utilizadas pelos Desembargadores e Desembargadoras do Poder Judiciário deste Estado, alguns já com idade que já requer maior atenção quanto à postura física e que, não raro, no Pleno e em seus gabinetes, são submetidos a sessões e reuniões que ultrapassam seis horas consecutivas.”
Obra-prima do design
Os desiners responsáveis pela cadeira levaram sete anos para desenvolvê-la. Lançada em 1994, a cadeira foi eleita o design da década e fez parte do hall da fama do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (Moma).

Fonte: TribunadoNorte

Espalhe

Receba por e-mail

Organizações N.E.D.: Não Entendo Direito - Entendo Direito - Desenvolvido por Templateism